Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de agosto, 2020

Encontradas 27 tumbas e milhares de relíquias da Idade de Ouro da China

Um grupo de arqueólogos encontrou 27 tumbas e milhares de objetos com mais de dois mil anos no noroeste da China. As descobertas foram feitas durante escavações em Xian, na província de Shaanxi.  O local é famoso por abrigar esculturas de soldados de terracota que datam da época de Qin Shi Huang, o primeiro imperador chinês, que governou entre 247 a.C. e 221 a.C Segundo especialistas, os artefatos encontrados agora são da época da dinastia Han, considerada a "Idade de Ouro" da história chinesa. Quatro das tumbas são de grande porte e, devido às suas características, acredita-se que pertenceriam a personalidades de grande importância para aquela sociedade. Especula-se que uma delas era de algum marquês.  Na maior tumba, foram encontradas mais de 2.200 relíquias, incluindo peças de jade e figuras de cerâmica. Segundo o arqueólogo Zhu Lianhua, do Instituto de Proteção de Relíquias Culturais e Arqueologia de Xian, no local também havia a escultura de uma carruagem de bronze, louç

Usadas para evitar a peste na Idade Média, "janelas de vinho" estão de volta na Itália

Uma antiga prática medieval de distanciamento social está sendo retomada na Itália. Durante um surto de peste bubônica, estabelecimentos criaram as janelas de vinho (buchette del vino, no original) para servir clientes com segurança. Agora, com a pandemia de coronavírus, o costume está de volta.  As janelas de vinho surgiram na Idade Média, mas se popularizam na região da Toscana um pouco depois, no século XVII. Entre os anos 1629 e 1631, o país sofreu com a chamada praga italiana, também chamada de Grande Peste de Milão. Estima-se que a doença tenha causado um milhão de mortes (25% da população da Itália na época). Como o nome indica, as janelas de vinho são pequenas escotilhas instaladas nas paredes de vinícolas e bodegas. Por meio delas, os comerciantes de bebidas podiam servir taças da bebida a seus clientes à distância em tempos de peste. Em vez de receber dinheiro na mão, os vendedores passavam uma bandeja de metal pela janela (onde era depositado o pagamento) e a desinfetavam co

O continente africano está se partindo e pode gerar um novo oceano

Em 2005, um grupo de cientistas descobriu uma fenda de 60 quilômetros ao longo de um trecho árido da região de Afar, na África Oriental, onde o continente estaria se dividindo lentamente.  Caso isso se concretize a África pode se partir em dois pedaços, gerando um novo oceano. Agora, novas medições de satélite parecem confirmar essa tendência. Especula-se que esse novo oceano africano demorará entre 5 e 10 milhões de anos para se formar, e se encontrará sobre os limites das placas da Núbia, Somália e Arábia. A região é um local privilegiado para se pesquisar processos tectônicos elaborados. “É o único lugar na Terra onde se pode estudar como uma fenda continental se transforma em uma fenda oceânica”, explicou o Dr. Christopher Moore, da Universidade de Leeds, no Reino Unido. As observações de satélites, junto a pesquisas de campo adicionais, podem ajudar os cientistas a reconstruir o que está acontecendo embaixo da terra, nessa região. Pesquisas anteriores haviam centrado em uma fenda

Corrida na praia resulta na descoberta acidental de raro osso de dinossauro na Escócia

A pesquisadora Elsa Panciroli descobriu um osso fossilizado de dinossauro praticamente por acaso enquanto corria por uma praia na Ilha de Eigg, na Escócia. Estima-se que o animal tenha vivido lá há cerca de 166 milhões de anos. A descoberta foi uma surpresa, pois cientistas procuravam sem sucesso fósseis desse tipo no local há 200 anos. Elsa é uma pesquisadora que atua no Museu Nacional da Escócia. Ela estava correndo na praia para encontrar seus colegas paleontólogos que faziam estudos na ilha quando basicamente tropeçou no fóssil. "Percebi que havia passado por cima de algo estranho. Na hora não estava claro a que tipo exato de animal pertencia o fóssil, mas não havia dúvida de que era um osso de dinossauro". Anteriormente, apenas fósseis de répteis marinhos e peixes haviam sido identificados na Ilha de Eigg. O osso, que tem cerca de 50 cm, foi levado a um laboratório para ser estudado. A análise revelou que ele fazia parte do membro posterior de um estegossauro que viveu n

Encontrados na Polônia brinquedos de crianças pré-históricas

Um grupo de arqueólogos encontrou duas pequenas peças de argila com formato de porcos em uma área rochosa localizada na aldeia de Maszkowice, no sul da Polônia. Estima-se que os artefatos tenham cerca de 3.500 anos. Os pesquisadores acreditam que as estatuetas podem se tratar de brinquedos de crianças pré-históricas da Idade do Bronze. A descoberta, inédita na região, surpreendeu os arqueólogos. “Estas são as primeiras estatuetas zoomórficas encontradas, isto é, figuras que representam animais”, disse o pesquisador Marcin S. Przybyła, do Instituto de Arqueologia da Universidade Jagiellonian. Ele acrescentou que os artefatos são pequenos, com apenas alguns centímetros, mas feitos com muito cuidado, incluindo detalhes anatômicos, como mamilos. As estatuetas têm estilos ligeiramente distintos, como se tivessem sido criadas por duas pessoas diferentes. Uma é mais clara, enquanto a outra foi queimada para ficar com um tom escuro. “Não há dúvidas a respeito do tipo de animal elas representam

Fóssil de escorpião mais antigo que os dinossauros é encontrado no sul do Brasil

O fóssil de um escorpião que viveu entre 270 milhões e 260 milhões de anos atrás foi encontrado no interior de Santa Catarina. O animal é mais velho que os dinossauros, que só surgiram depois, há cerca de 240 milhões de anos. A espécie foi batizada de   Suraju itayma   (que significa "escorpião da rocha antiga" em Tupi). A descoberta foi feita por pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) durante uma viagem para coleta de amostras pelo interior de Santa Catarina, em 2005.  Na ocasião, a paleontóloga Frésia Ricardi Branco parou o carro na beira da estrada BR 280 nos arredores de Canoinhas, perto da divisa com o Paraná, para procurar uma espécie extinta de conífera, semelhante a um pinheiro. Após recolher os fósseis, a equipe voltou para a universidade. Na Unicamp, ao observar as amostras recolhidas na viagem, um dos alunos notou que além de vestígios da conífera de Canoinhas, havia um registro fossilizado de um pequeno escorpião. No entanto, o fóssil só foi

Adolescentes encontram 425 moedas milenares de ouro 24 quilates em Israel

Adolescentes que trabalhavam voluntariamente nas escavações de um sítio arqueológico em Israel acharam um verdadeiro tesouro. O grupo se deparou com 425 moedas de ouro 24 quilates que estavam enterradas há cerca de 1100 anos. A descoberta foi feita em Yavne, cidade localizada no Distrito Central do país.  As moedas estavam em perfeito estado de conservação. De acordo com Robert Kool, da Autoridade de Antiguidades de Israel (IAA), elas datam do fim do século IX, quando a região estava sob controle do Califado Abássida (750–1258 d.C). Essa dinastia islâmica tinha capital em Bagdá e ocupava um grande território, que chegou a se estender da Argélia ao Afeganistão. "Eu escavei o solo e vi o que parecia ser folhas muito finas", disse Oz Cohen. "Quando olhei de novo, vi que eram moedas de ouro. Foi realmente emocionante encontrar um tesouro tão especial e antigo", completou. Segundo os arqueólogos, encontrar tantas moedas de ouro na região é extremamente raro, já que o met

Foto de turista ressuscita lenda do monstro do Lago Ness

Uma foto tirada por um turista inglês durante uma temporada de férias na Escócia em 2020 chamou a atenção de defensores da teoria de que um monstro lendário e pré-histórico habita o famoso Lago Ness. Steve Challice esteve de férias em Inverness, norte da Escócia, em setembro do ano passado, e postou em suas redes sociais algumas fotos da viagem, uma delas da margem oposto do Castelo Urquhart, no Lago Ness. Imediatamente uma das imagens chamou a atenção dos internautas. Na foto, algo parecido com um peixe, mas com quase 2,5 metros de comprimento, foi comparado ao animal que faz parte do folclore da região há quase um século, o “monstro do Lago Ness”. Para defensores da teoria, é a melhor foto do monstro tirada desde sua suposta primeira aparição, em 1933. Challice, no entanto, não pareceu muito animado com o alcance de sua postagem e muito menos com os comentários.”Na minha opinião é um "cat fish" ou algo semelhante, mas enorme, que nadou para o lago a partir do mar”, disse.

Hoia Baciu: Transilvânia abriga "a floresta mais mal-assombrada do mundo"

Hoia Baciu, também conhecida como “o Triângulo das Bermudas da Transilvânia” , é uma floresta de 3 quilômetros quadrados de superfície situada no oeste da cidade romena de Cluj-Napoca. Os mais antigos registros da presença humana na região datam do período neolítico, há cerca de 10 mil anos. As histórias e lendas sobre a floresta são responsáveis por dar ao local uma aura de mistério. De acordo com mitos locais, quem anda por ali perde a noção do tempo:  muitas pessoas acreditavam que estavam na floresta há alguns minutos, quando na verdade passaram-se horas ou dias. Outra lenda diz que uma menina de 5 anos desapareceu em Hoia Baciu e foi reencontrada 5 anos depois, sem nenhuma transformação: a mesma roupa, o mesmo rosto e o mesmo corpo. Ou seja, o tempo não havia passado para ela. A floresta também tem fama de ser palco de avistamentos de óvnis. Em 18 de agosto de 1968,  Hoia Baciu atraiu interesse internacional depois que o militar Emil Barnea e sua namorada, Zamfira Mattea, terem su

Diários secretos revelam que Mengele nunca se arrependeu dos horrores do nazismo

Em 7 de fevereiro de 1979, um homem identificado como o austríaco " Wolfgang Gerhard" morreu afogado na praia de Bertioga, litoral de São Paulo. Por muito tempo houve a suspeita de que ele fosse, na verdade, o médico nazista Josef Mengele , conhecido como "Anjo da Morte" . Em 1985, durante as investigações sobre sua verdadeira identidade, a Polícia Federal apreendeu documentos que pertenciam ao homem. No mesmo ano, sua ossada, enterrada em um cemitério de Embu das Artes (SP), foi exumada.  Em 1992, exames de DNA comprovaram definitivamente que os restos mortais realmente pertenciam a Mengele. Enquanto isso, os documentos apreendidos pela PF ficaram esquecidos e só foram revelados ao público no ano de 2004, em uma reportagem da Folha de S. Paulo. Entre eles, estavam diários que o nazista havia escrito desde o fim da Segunda Guerra Mundial.  Richard Baer, Josef Mengele e Rudolf Höss em Auschwitz, 1944 Os diários secretos de Mengele revelam que ele manteve suas convic