Pular para o conteúdo principal

Marilyn Monroe

Em Os Desajustados (The Misfits, 1961), último filme com Marilyn Monroe, há uma cena em que Gay (Clark Gable), olha para Marilyn e diz que ela é uma mulher triste. 

Ela responde que ele é único a perceber isto, já que todos acham-na feliz. Gable então replica dizendo que ela é uma mulher triste que deixa os outros felizes. 

O dramaturgo Arthur Miller certamente estava pensando em sua esposa Marilyn Monroe quando escreveu o roteiro do filme.

Ali, ele não somente prestava  homenagem a ela, dando-lhe uma personagem que não era somente caras e bocas, mas fazendo-lhe uma curta e poética definição. É um grande momento do cinema. Restitui a integridade de uma mulher que devia servir apenas ao divertimento do mundo.

Porém, a morte de Marilyn Monroe, ocorrida há 50 anos, no dia 5 de agosto de 1962, foi um exemplo de indignidade.

É certo que a atriz tomava muitos remédios e era bastante problemática — mas é muito provável, quase certo, que haja coadjuvantes no ato final e que estes coadjuvantes fossem representantes de protagonistas da vida pública norte-americana. A notícia de sua morte chocou o mundo, tendo prevalecido a versão da overdose por barbitúricos. 

Mas ninguém sabe ao certo o que aconteceu naquela noite. Ouviram-se helicópteros. Uma ambulância foi vista esperando fora da casa antes que a empregada desse o alarme. As gravações de seus telefonemas sumiram, assim como o relatório da autópsia. 

Os amigos de Marilyn que tentaram investigar o caso receberam ameaças de morte. A documentação do FBI foi suprimida. Todos os caminhos para o esclarecimento de sua morte foram fechados, sinal de que ela se envolvera com algo que, naquela época, era maior do que ela.
Um poster despertou a curiosidade de JFK
Sabe-se do escândalo que ocorre cada vez que um presidente ou político norte-americano faz algo incorreto, tal como um adultério e, com efeito, o caso de Marilyn era apenas e simplesmente com John Kennedy. 

A obsessão de Kennedy por MM começou forma bastante cômica. Antes de ser presidente, Kennedy fora operado da coluna e permanecera imobilizado numa cama de hospital. Para que ele ficasse mais feliz, seu irmão Bobby pendurou, de cabeça para baixo, na frente de sua cama, um poster onde Marilyn aparecia de pernas abertas, vestindo um short curto e uma blusa decotada. Foi que bastou para Kennedy buscasse conhecê-la.
O caso entre eles teve início após o divórcio de Marilyn com o jogador de beisebol Joe di Maggio — segundo casamento da atriz — e seguiu enquanto ela esteve casada com Arthur Miller. Seus encontros ocorriam na suíte que ele mantinha no Carlyle Hotel, em Nova Iorque, ou na casa de praia de um amigo, em Santa Monica, na Califórnia.

Como costuma acontecer, os governos são cestos de ofídios. O FBI grampeou a tal casa de praia e John Edgar Hoover, chefe da organização, usou as gravações para manter-se no cargo quando Kennedy tentou demiti-lo. Para complicar, Hoover teria insinuado que havia outro grampo na casa: o da Máfia, com quem JFK mantivera estreito relacionamento durante as eleições, apesar de seu discurso de “acabar com a Máfia”.
Os conselheiros mais próximos advertiam-no de que era perigoso ter MM como amante por dois motivos: os chefes mafiosos poderiam usar o caso contra ele — seria um enorme escândalo se a mídia soubesse que ele mantinha um caso fora do casamento e logo com quem — e a suspeita de que Marilyn poderia se descontrolar a qualquer momento e fazer uma cena pública. E, ao que tudo indicava, em 1962 Kennedy desejava livrar-se dela de uma forma elegante, de modo a não se prejudicar.
Comprovando como poderia ser perigosa, Marilyn resolveu dar um grande presente a Kennedy. Durante uma festa na sede do Partido Democrata, ela cantou com voz inequivocamente lasciva (filme abaixo) o célebre Happy Birthday, Mr. President

Ela estava com um vestido que parecia ser pura pele e pérolas e, para qualquer bom entendedor, ficou claro o gênero de ligação que tinha com o presidente. John Kennedy quase cometeu um ato falho ao dizer: “Já posso me retirar da política após ter ouvido este Happy Birthday cantado para mim de modo tão doce e encantador.”
Isso ocorreu três meses antes da morte de Marilyn. Apesar de ninguém saber ao certo o que houve naquele 5 de agosto, seus amigos — como quase todo mundo — suspeitaram de uma assassinato. Os suspeitos de terem cometido ou mandado cometer o crime são Robert Kennedy (com quem ela também teve um caso), John F. Kennedy, o mafioso Sam Giancana, e também o FBI, a CIA e até seu psiquiatra, Ralph Greenson.
Robert Kennedy, Marilyn Monroe e John Kennedy logo após os famosos parabéns
Se muitos mistérios rondam a morte de Marilyn Monroe, sua vida foi tão vasculhada que se sabe de quase tudo: as idiossincrasias, a data de cada sessão de fotos, de cada cena filmada ou não filmada e por quê, de seus casos amorosos, de sua enorme insegurança — achava-se péssima atriz — , suas faltas, ausências prolongadas, internamentos, crises por causa dos remédios, por causa do alcoolismo, crises existenciais… Mas o resumo que pode ser formado a partir de tantas informações é a de que a mulher mais desejada de seu tempo passou toda a sua curta vida tentando encontrar um amor verdadeiro e tornar-se uma verdadeira atriz. 

De fora, pode parecer simples, mas a angústia nunca é simples. Marilyn era uma belíssima mulher e uma aceitável atriz. Foi dona de uma capacidade fotogênica miraculosa, imbatível carisma, beleza, sensualidade e simpatia. Realizou grande atuação em seu último filme, o citado Os Desajustados, onde fez muito bem um papel bastante complicado. Em sua defesa, pode-se dizer que seus outros filmes eram comédias românticas que não lhe exigiam grande coisa. Quando lhe foi exigido mais, como em Quanto mais quente melhor (Some like it hot, 1959), também respondeu à altura.
Uma das célebres cenas de O Pecado Mora ao Lado (1955)
Seu verdadeiro nome era Norma Jean Mortenson, mas logo foi mudado para Norma Jean Baker. Ela nasceu no dia 1º de junho de 1926 no County Hospital, em Los Angeles, e era a terceira filha de Gladys Pearl Baker. A confusão do nome deve-se ao fato de não se saber quem foi o verdadeiro pai biológico da atriz. 

O nome do pai, na certidão de nascimento, foi o Edward Martin Mortensen, mas este sempre negou a paternidade, pois quando ele se separou da mãe de Marilyn, em 1924, Gladys ainda não estava grávida.

Mortensen viveu até os 85 anos de idade e, após sua morte, foram encontrados documentos que mostravam que ele pediu divórcio de Gladys em março de 1927, não em 1924, e Norma Jean nasceu em 1926. Ou seja, o caso não é claro, ainda mais que a Gladys teria um caso com Charles Stanley Gifford, um vendedor com quem ela trabalhou até ser levada a uma instituição psiquiátrica por problemas psicológicos. Gladys teria confidenciado a amigos que o pai de Norma seria Gifford.
Gladys Pearl Baker e Charles Gifford
Marilyn começou a carreira em alguns pequenos filmes — à exceção de uma boa participação emA Malvada (All about Eve, 1950), de  Joseph Mankiewicz — , mas seu notável charme, beleza e frequente presença em eventos levaram-na logo a conquistar papéis em filmes dos grandes estúdios. 

Mas isso toda candidata à estrela faz e não chega ao grau de notoriedade de MM. É que junto à sensualidade e intensidade, Marilyn transpirava vulnerabilidade e inocência, tornando-a querida no mundo inteiro, mesmo quando as notícias sobre seu estilo de vida eram divulgadas. Seu rosto e jeito eram uma explosiva combinação de menina frágil e inocente, dominante e sedutora.
Outra célebre cena de O Pecado. Como não cometê-lo?
Foi a performance em Niagara (Torrentes de Paixão, 1953), de Henry Hathaway, que a tornou uma grande estrela. Marilyn fez o papel de uma jovem e bela esposa que planeja matar seu velho e ciumento marido. 

O sucesso de Niagara lhe rendeu, no mesmo ano, os papéis principais em Os Homens Preferem as Loiras (Gentlemen Prefer Blondes, 1953), de Howard Hawks, onde divide o protagonismo com Jane Russell, e Como Agarrar um Milionário (How to Marry a Millionaire, 1953), de Jean Negulesco. 

A revista Photoplay votou em Marilyn como melhor atriz iniciante de 1953 e, aos 27 anos de idade, ela era sem dúvida a loira mais amada de Hollywood.
Marilyn saudando as tropas americanas na Coreia. Adivinhem se não houve uma enorme confusão?
No dia 14 de janeiro de 1954, Marilyn casou com seu namorado, o jogador de beisebol Joe DiMaggio. Durante a lua de mel em Tóquio, Marilyn fez uma performance para os militares que serviam na Coreia. A sua presença causou quase um motim, e Joe se mostrou claramente incomodado com aqueles milhares de homens desejando sua mulher. E seguiu se incomodando após o assédio da Coreia. Ela era muito cobiçada, sua beleza chamava atenção e, na verdade,  isso causou brigas e ciúmes com todos os homens com quem se relacionou.
Nove meses depois, separaram-se. Em 1955, logo após o imenso sucesso de O Pecado mora ao Lado (The Seven Year Itch, 1955), de Billy Wilder, Marilyn desejou livrar-se da imagem de furacão loiro. Queria seguir com seriedade a carreira de atriz e mostrar que era mais que uma mulher que atiçava o imaginário masculino. Ela mudou-se de Hollywood para Nova York a fim de estudar na escola de atores de Lee Strasberg. Em 1956, Marilyn abriu sua própria produtora, a Marilyn Monroe Productions. 

A empresa produziu os filmes Nunca Fui Santa (Bus Stop, 1956), de Joshua Logan e O Príncipe Encantado (The Prince and the Showgirl, 1957), dirigido e estrelado por Laurence Olivier. Não eram ainda filmes satisfatórios nem “sérios”, mas em 1959 Marilyn brilhou em Quanto Mais Quente Melhor (Some Like It Hot), de Billy Wilder — uma comédia altamente satisfatória sob qualquer ângulo,  onde estava ao lado de Jack Lemmon e Tony Curtis – , tendo seu trabalho reconhecido ao vencer o Globo de Ouro de “Melhor Atriz de Comédia”.
No dia 29 de junho de 1956, Marilyn casou-se com seu novo namorado, o dramaturgo Arthur Miller. O próprio confessava que ela o deixava de “joelhos bambos”. Enquanto estavam casados, Miller escreveu o papel de Roslyn Taber de Os Desajustados, especialmente para Marilyn. 

Segundo Fernando Monteiro, este talvez seja o melhor roteiro já escrito para o cinema, com um argumento tão perto da vida que o espectador parece poder tocá-la com a mão. A história dos quatro perdedores dirigidos por John Huston e estrelados por Clark Gable e Montgomery Clift, acabou sendo o último filme completo de Marilyn e a despedida das telas de Gable.
Cinquenta anos depois de sua morte, o fascínio que Marilyn Monroe exerce sobre as pessoas não para de crescer. É curioso que uma atriz que tinha tão pouca auto-estima profissional — ela chegava ao ponto de possuir uma espécie de professora ou treinadora (Paula Strasberg) que a acompanhava e orientava em todas as cenas e que entrava em conflito com os diretores de seus filmes — seja hoje o maior ícone do cinema em todos os tempos. Mas o que matou Marilyn não foram seus filmes. 

Sua morte, foi, provavelmente, resultado de uma mágica que ela sempre soube possuir e que nós podemos comprovar até hoje, vendo-a cristalizada numa foto ou movimentando-se num filme. Só que Marilyn, em sua opinião, jamais conseguiu unir tal facilidade com sua noção ideal de amor.
A mais fotogênica das mulheres -- sem exagero, são milhares de fotos perfeitas
Escolhemos várias opções de capa para esta matéria. Não resistimos a colocá-las abaixo:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

História do Batman

Batman  é um  personagem fictício , um super-herói da  banda desenhada  americana publicada pela  DC Comics . O herói mascarado criado pelo cartunista Bob Kane tornou-se, ao longo de seus 80 anos, um ícone da cultura pop, ultrapassando as páginas das histórias em quadrinhos.  Estimulada pelo sucesso do Superman, publicado na revista Action Comics , a National Publications ( editora que se tornou hoje a DC Comics ) contratou Kane para criar um novo herói, cujo visual se baseou nos desenhos de Leonardo Da Vinci que mostrava um homem voando com asas. Com a colaboração do escritor Bill Finger, que lapidou o visual e as ideias apresentadas, Batman chegou às páginas de “Detective Comics” #27 (Maio de 1939). A duplicidade de Bruce Wayne, um aristocrata que leva vida dupla para punir os criminosos, era uma óbvia referência ao “Zorro” de Johnston McCaulley . A inspiração para Batman ainda incluía o aspecto soturno e violento do Sombra (de Walter Gibson) com o qual Batman estimula

Hatshepsut, a Primeira Faraó Mulher do Egito

Nascida em Tebas, capital do Egito durante o Império Novo, Hatshepsut foi a filha mais velha do rei Tutmés I e da rainha Amósis , e viveu durante a XVIII dinastia egípcia.  Após a morte do seu pai, Hatshepsut casou-se com seu meio irmão e herdeiro do trono, Tutmés II , seguindo um costume que existia no Antigo Egito onde membros da família real se casavam entre si.  Com a morte de Tutmés II, o único herdeiro homem erá o filho dele com uma concubina, porém por ser apenas uma criança ele não pôde assumir o poder. Hatshepsut assumiu o poder e no começo de seu reinado não exigiu as regalias reservadas aos faraós, que eram governantes e sacerdotes da religião local. Aos poucos foi testando seu poder, para ver até onde iam os limites impostos pela sociedade egípcia às mulheres, pois almejava o posto de faraó. Hatshepsut, então declara publicamente ser filha do deus Amon-Rá, que se apresentara à sua mãe como Tutmés I.  Nos templos de Deir el-Bahari e de Amon-Rá ela consolidou seu

Tutankamon - A múmia mais famosa

Tutankamon, também conhecido como o “Faraó Menino” , nasceu em 1341 a.C e morreu em 1323 a.C. Foi faraó do Egito Antigo entre os anos de  1332–1323 a.C. na cronologia egípcia . Era filho do faraó Akhenaton c om alguma irmã do próprio  Akhenaton   ou possivelmente uma de suas primas. Ele subiu ao trono com a idade de nove ou dez anos.  Sua  ama de leite  foi uma mulher chamada Maia, segundo conta em seu túmulo em  Sacará  . Seu professor foi Sennedjem. O nome  Tutankamon siginifica  "Imagem viva de Amom" , reforçando a restauração de Amom. Tutankamon  era magro e tinha quase 1,67 cm de altura.  Ele tinha grandes incisos frontais e a arcada dentária superior projetada para frente, característica da linhagem real  Tuteméses  à qual pertencia. Ainda existem muitas dúvidas sobre a vida de Tutankamon. Foi o último faraó da 18º dinastia. Durante seu curto período de governo, levou a capital do Egito para Memphis e retomou o politeísmo, que havia sido abandonado pelo pai

Horror em Amityville – A História real

Em Junho de 1965, o Sr. Ronald DeFeo adquiriu a casa nº 112 na rua Ocean Avenue. Era uma casa linda, com uma arquitetura ao estilo Holandês, bastante espaçosa e com uma casa de barcos, um anexo com ligação ao rio. "Parecia o Sonho Americano: uma casa de sonho, família feliz e muito dinheiro para gastar." Os DeFeo até colocaram uma tableta em frente á sua casa onde se podia ler  ”Grandes Esperanças” , como que um símbolo da fortuna da família. Mas havia um lado negro escondido na família, o filho mais velho do casal,  Ronald "Butch" Júnior , consumia drogas e praticava pequenos roubos, o que levava a frequentes e violentas discussões com o seu pai. A familia Defeo. No dia  13 de Novembro de 1974  enquanto toda a família dormia nos seus quartos, Ronald "Butch" Júnior estava a ver televisão no segundo piso, quando se levantou e pegou na sua carabina (Marlin Rifle .35).  Dirigiu-se primeiro ao quarto de seus pais e disparou dois tiros contra

Suástica gravada na estátua de Buda, na Coréia.

A imagem da cruz suástica é um dos amuletos mais antigos e universais do mundo, sendo utilizada desde o Período Neolítico. Foi adotada em diversas culturas, sem qualquer interferência umas co m as outras. Especulou-se até que a difusão da suástica entre diversas culturas mundiais (Índia, África, América do Norte e do Sul, Ásia e Europa) apontava para uma origem comum, possivelmente da lendária Atlântida. As primeiras formas similares à suástica estão conservadas em vasos cerâmicos datados de cerca de 4000 a.C., em antigas inscrições europeias, e como parte da escrita encontrada na região do Indo, de cerca de 3000 a.C., a qual religiões posteriores (hinduísmo e budismo) passaram a usar como um de seus símbolos. Na Antiguidade, a suástica foi usada largamente pelos indo-arianos, hititas, celtas e gregos, dentre outros. Ela ocorre em outras culturas asiáticas, europeias, africanas e indígenas americanas, na maioria das vezes como elemento decorativo, eventualmente como símbolo religi

O Misterioso Lago Ness

O  lago Ness  ( Loch Ness ) é um  lago  de água doce localizado em  Highland  na  Escócia , de forma estreita e alongada com cerca de 37 quilómetros de comprimento. O lago ocupa uma área de cerca de 56,4 km² e tem uma profundidade máxima de 226 metros.  A visibilidade da água é extremamente reduzida devido ao teor de  turfa  dos solos circundantes, que é trazida para o lago através das redes de drenagem. Pensa-se que o lago Ness tenha sido modelado pelos  glaciares   da última  era glacial . A torre do Castelo de Urquhart, com o Lago Ness ao fundo. O  monstro do lago Ness: Também conhecido por  Nessie , é um  criptídeo aquático que alegadamente foi visto no  Lago Ness, nas  Terras Altas  da  Escócia , no  Reino Unido . A sua existência (ou não) continua a suscitar debate entre os  cépticos  e os crentes, e é um dos mistérios da  criptozoologia .   Rumores acerca de uma criatura estranha em Loch Ness existem há pelo menos 1595 anos . O primeiro registro escrito aparece na  Vid

Tigre da Tasmânia ou Lobo da Tasmânia

      O Tigre da Tasmânia ou Lobo da Tasmânia ou Tilacino era um marsupial carnívoro que foi extinto há 67 anos atrás, viveu na Tasmânia, próximo a Austrália, no atual Holoceno, era do tamanho de um "grande cachorro" com uma "cabeça de raposa" e a partir do meio do corpo até a cauda apresentava listras iguais às dos tigres, sendo os machos pouco maiores que as fêmeas, estas as quais possuíam uma bolsa, que é característica dos marsupiais.   O Tigre da Tasmânia era um caçador solitário, caçando às vezes em pares, seu método era escolher um animal, como um pequeno canguru e então segui-lo até cansá-lo, pulando então sobre ele e matando-o com suas fortes maxilas, as quais podiam atingir uma abertura angular de maxilares de 120 graus. O Tigre da Tasmânia ganhou fama de assassino de gado e ovelhas, fato este que nunca foi comprovado, mas por causa desta fama tanto os criadores de ovelhas como o próprio governo ofereciam uma boa recompensa em dinheiro pela sua

A verdade sobre "A Bruxa de Blair"

A Cidade de Blair é fundada,em fevereiro de 1785, ela é  uma antiga cidade mineira, atualmente uma " cidade fantasma" , no  condado de Esmeralda , estado de  Nevada , nos  Estados Unidos . Entenda o caso: Diversas crianças acusaram Elly Kedward de atraí-las para sua casa e retirar sangue delas e  uma série de experimentos aterrorizantes . Elly é culpada por feitiçaria e banida do vilarejo durante um rigoroso inverno e tida como morta. Os habitantes locais acreditavam que depois de abandonar Elly para morrer na floresta ela lançou uma terrível praga no local e amaldiçoou  a todos os envolvidos nessa sua expulsão. O que causou um reboliço sem precedentes e uma histeria coletiva envolvendo o nome de Elly. Entenda a cronologia da história: Novembro de 1786: No meio do inverno, todos aqueles que acusaram Kedward e a metade das crianças da cidade desaparecem de Blair e  juraram nunca mais mencionar o nome de Elly Kedward de novo. Novembro de 1809: O livro

Annabelle, a verdadeira história da boneca do mal

O ano era 1970, a jovem Donna era uma estudante universitária que estava quase concluindo seu curso em enfermagem. Ela dividia um minúsculo apartamento com Angie , uma outra estudante do mesmo curso, em uma outra cidade.  Donna era apaixonada por bonecas e, pensando nisso, sua mãe foi até uma Hobby Store (loja especializada em bonecas para colecionadores) e presenteou a filha com uma Raggedy Ann em seu aniversário. Feliz com seu novo presente, a jovem deixo-o sobre sua cama, como uma decoração e recordação de sua mãe, que estava longe dela nesse momento. Até então, tudo normal, nada de ruim foi relatado, mas a situação mudou alguns dias depois. Donna e Angie começaram a perceber que algo estranho estava acontecendo. A boneca sumia de um lugar e aparecia em outro, mudavam de posição, de cômodo, como se estivesse se movendo sozinha. Algumas vezes ela aparecia sentada no sofá, com as pernas e braços cruzados, em outros momentos ela estava em pé sobre a cadeira da cozinha. Quando Donn

A Tumba do Imperador Qin Shi Huang

A descoberta dos primeiros guerreiros e cavalos aconteceu por acaso, em 1972, quando um camponês cavava um poço para obter água e se deparou com algumas estátuas. As figuras encontradas nas escavações foram esculpidas à mão pelos artesãos em tamanho real e estão em rígida formação militar. O mausoléu conta com 400 tumbas, além de 7 mil estátuas de guerreiros e cavalos, e 100 carros de combate. O numeroso exército, porém, com um total estimado em 8 mil peças, na verdade ocupa apenas uma fração do complexo de sepulturas, ainda em grande parte não escavado, que se estende por 56 quilômetros quadrados e cuja construção teria exigido uma força de trabalho de cerca de 700 mil pessoas. Os chineses acreditavam na vida após a morte, e o exército foi criado para acompanhar o Imperador Qin em sua suposta vida além-túmulo. Quando foi descoberto, o exército estava disposto em formação completa de batalha, e incluía a linha de infantaria, arqueiros ajoelhados e carroças com seus cavalos e c