terça-feira, 31 de outubro de 2017

Documento revela que Hitler foi recusado por partido de extrema direita

Um documento tornado público pelo historiador Thomas Weber, da Universidade de Aberdeen, revela que Adolf Hitler tentou ingressar em outro partido político de extrema-direita antes de se filiar ao Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães, mais conhecido como Partido Nazista. Em 1919, ele foi rejeitado pelo recém-formado Partido Socialista Alemão, decisão que acabou sendo determinante para sua ascensão política.


Até um ano antes, ele não demonstrava nenhuma qualidade de liderança e estaria feliz em seguir ordens, em vez de dar ordens — comentou Weber, em entrevista ao “Guardian”.

Segundo a tese do historiador, o Partido Socialista, também de extrema-direita, era muito maior que o Partido Nazista, com mais lideranças consolidadas. Se Hitler tivesse sido aceito, provavelmente seria colocado numa função menor e, dessa forma “seria improvável que conseguisse assumir o poder”.

Após ser rejeitado pelo Partido Socialista, Hitler se filiou ao Partido Nazista e se tornou líder em 1921. O Partido Socialista foi dissolvido no ano seguinte e muitos de seus membros, incluindo o líder antissemita Julius Streicher, se uniram sob o comando de Hitler.

Essa é uma história que nunca foi coberta antes — disse o especialista. — Ela finalmente explica o seu comportamento obsessivo, nos anos seguintes, em relação ao Partido Socialista Alemão.

Fundado em 1918 como resposta da extrema-direita alemã à Revolução Alemã, de caráter comunista, o Partido Socialista era, à época, mais influente que o Partido Nazista, fundado apenas em 1920. No início daquele ano, as lideranças nazistas chegaram a cogitar uma fusão com os socialistas, o que foi negado por Hitler.

Se não fosse a firme recusa de Hitler — em um ponto, ele chegou a deixar o partido por esse motivo —, o Partido Nazista teria sido absorvido pelo Partido Socialista Alemão e, portanto, teria desaparecido e a história tomaria um caminho diferente — explicou Weber. — Com a rejeição de Hitler pelo partido (socialista), o seu comportamento, que ninguém conseguia explicar, finalmente faz sentido.

O documento faz parte do testemunho de Hans George Grassinger, presidente fundador do Partido Socialista Alemão, que estava esquecido nos arquivos do Instituto de História Contemporânea de Munique.

O relato conta que “no outono de 1919, por volta de setembro, Hitler apareceu no escritório da editora para encontrar Grassinger e se oferecer para escrever para o jornal, se juntar e trabalhar para o Partido Socialista Alemão. Ele não tinha dinheiro e pediu emprestado para Grassinger. Mas eles disseram que não havia espaço para ele no jornal e também não o queriam no partido”.

Hitler era, de fato, um operador político hábil e convincente que nunca perdoaria alguém que o rebaixasse. E manteve uma vingança longa contra eles — disse Weber.

Detalhes sobre o documento são descritos por Weber no livro “Becoming Hitler: The making of a Nazi”, que será publicado pela editora da Universidade de Oxford no mês que vem.

Fonte: oglobo.globo.com

Nenhum comentário:

Postagens mais acessadas