Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de novembro, 2014

Aquarela pintada por Hitler é leiloada por R$ 400 mil na Alemanha

Quadro de 24 x 28 cm foi pintado antes de alemão se tornar ditador. Comércio de pintura de Hitler só é liberado se não tiver símbolos nazistas. Aquarela pintada por Hitler foi vendida por 130 mil euros em leilão. A imagem mostra a antiga prefeitura de Munique, na Alemanha (Foto: AP Foto/Michael Probst) Uma aquarela pintada por  Adolf Hitler   foi leiloada neste sábado (22) em Nuremberg, na Alemanha, por 130 mil euros (cerca de R$ 400 mil), informou a casa de leilões Weidler. O quadro, de 24 por 28 centímetros, foi adquirido por um comprador anônimo do Oriente Médio. O comprador da época era o avô de duas irmãs que hoje têm cerca de 70 anos e que entregaram a aquarela à casa de leilões. O alto preço surpreendeu a casa de leilões. Um dos fatores que valorizou o produto é o fato de que está conservada a nota de venda original de 1916, quando o quadro foi comprado em uma galeria de Munique. O comércio de pinturas de Hitler só está proibido na Alemanha nos casos em que nas ob

Participação do Brasil na 1ª Guerra trouxe ganhos modestos e baque econômico

A Primeira Guerra Mundial, cujo armistício é comemorado nesta terça-feira, teve um impacto significativo no Brasil - apesar de uma participação simbólica do país no conflito, marcada por uma tragédia e uma "batalha cômica". Participação militar brasileira na Primeira Guerra Mundial foi discreta, mas conflito deu início a mudanças substanciais na realidade do país   Para o historiador Francisco Luiz Vinhosa, um dos efeitos foi expor as fragilidades da economia brasileira, na época extremamente dependente das exportações de café. "O principal legado da Primeira Guerra Mundial para o Brasil foi revelar nosso atraso político e econômico. O país perdeu oportunidades de usar o conflito, a começar pela decisão de escolha de lado. A Alemanha, por exemplo, ofereceria ao Brasil uma chance de escapar do imperialismo da Grã-Bretanha", afirma Vinhosa, autor de  O Brasil e a Primeira Guerra Mundial , um dos mais completos estudos sobre o tema, lançado em 1990. Neutro du

Treze anos após ataque, empresas retornam ao World Trade Center

Mais de 13 anos depois que as torres gêmeas originais foram derrubadas no ataque terrorista de 11 de setembro, o World Trade Center está de volta ao mundo dos negócios. O novo edifício construído em Manhattan a poucos metros de onde fica o memorial e o museu erguidos no lugar das torres foi inaugurado nesta segunda-feira. Com 541 metros de altura e 104 andares, o One World Trade Center, como é chamado agora, levou oito anos para ser construído e custou um total de US$ 3,9 bilhões (R$ 9,75 bilhões). Na reinauguração, cerca de 175 funcionários da editora Conde Nast (das revistas  New Yorker  e  Vanity Fair ) foram os primeiros a ocupar os andares do prédio, que, segundo os responsáveis pela obra, pode ser considerado "o mais seguro dos Estados Unidos". O concreto utilizado no edifício é sete vezes mais resistente que o concreto normal e o design do prédio foi feito para que, mesmo que haja uma colisão com um avião, as pessoas no topo possam deixar a torre com segurança.