Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de abril, 2014

A Múmia Ötze

Em 19 de setembro de 1991, um casal de alpinistas encontrou uma múmia muito bem conservada, de cerca de 5300 anos, nos Alpes italianos. Apelidado de Ötzi, por ter sido encontrado na região dos Alpes de Ötztal perto do monte Similaun, na fronteira da Áustria com a Itália, o corpo é de um homem que tinha entre 30 e 45 anos e media, aproximadamente, 1.65m de altura. A múmia está exposta no Museu de Arqueologia do Tirol do Sul, Bolzano, Itália. Sua morte, de acordo com um estudo de 2007, foi provocada pelos ferimentos de uma flechada no ombro. Os pesquisadores acreditam que ele era um caçador, que deveria estar com outros colegas, e que eles podem ter travado uma luta com algum grupo rival.    O homem tinha 57 tatuagens, algumas localizadas ou próximas de pontos que coincidem com os da acupuntura, que podem ter sido feitas para tratar doenças. Suas roupas eram bastante adaptadas ao frio, com sapatos largos e à prova d'água, aparenteme nte feitos para caminhar na

Documentos do FBI dizem que Hitler fugiu para a Argentina

Documentos revelados pelo FBI revelam que Adolf Hitler terá fugido para a Argentina de submarino no fim da Segunda Guerra Mundial. E que o ditador sofria de asma e úlceras. De acordo com o jornal Express, os dados foram fornecidos em 1945 ao FBI por um informador argentino, que em troca pretendia asilo. Este informador disse ainda que o líder nazi tinha cortado o seu bigode e vivia num rancho fortemente vigiado. "Se forem a um hotel em San Antonio, Argentina, consigo arranjar um homem que se encontre lá com vocês e vos diga onde é o rancho onde está Hitler", disse o informador. A informação chegou ao líder do FBI, J. Edgar Hoover, que a reencaminhou para o Departamento de Guerra. No entanto, num documento de 21 de setembro de 1945, os agentes do FBI concluiram que devido à pouca informação seria impossível continuar a seguir esta pista. Fonte: G1

Arqueólogos descobrem o que pode ter sido a cidade pré histórica mais antiga da Europa

Um grupo de arqueólogos acredita ter encontrado na Bulgária a cidade pré histórica mais antiga já descoberta na Europa, com a existência  datada de aproximadamente 5 mil anos antes de Cristo, ou seja, antes mesmo do surgimento da antiga civilização grega. O assentamento pré histórico, que contava com uma população de aproximadamente 350 pessoas, está localizado próximo à pequena cidade de Provadia, nas imediações do resort Varna nas margens do Mar Negro. Entre as ruínas os pesquisadores encontraram casas de dois pavimentos, muralhas de fortificação e partes de uma porta de entrada. Considerado tão valioso quanto o ouro, na época, o sal, possivelmente, era o produto que movia a economia local. Conforme explicam os pesquisadores, os residentes locais provavelmente ferviam a água salobra disponível na região para produzir barras de sal, que eram utilizadas como moeda de troca. Fonte: Megacurioso

Hatshepsut, a Primeira Faraó Mulher do Egito

Nascida em Tebas, capital do Egito durante o Império Novo, Hatshepsut foi a filha mais velha do rei Tutmés I e da rainha Amósis , e viveu durante a XVIII dinastia egípcia.  Após a morte do seu pai, Hatshepsut casou-se com seu meio irmão e herdeiro do trono, Tutmés II , seguindo um costume que existia no Antigo Egito onde membros da família real se casavam entre si.  Com a morte de Tutmés II, o único herdeiro homem erá o filho dele com uma concubina, porém por ser apenas uma criança ele não pôde assumir o poder. Hatshepsut assumiu o poder e no começo de seu reinado não exigiu as regalias reservadas aos faraós, que eram governantes e sacerdotes da religião local. Aos poucos foi testando seu poder, para ver até onde iam os limites impostos pela sociedade egípcia às mulheres, pois almejava o posto de faraó. Hatshepsut, então declara publicamente ser filha do deus Amon-Rá, que se apresentara à sua mãe como Tutmés I.  Nos templos de Deir el-Bahari e de Amon-Rá ela consolidou seu

Teste de DNA sugere que esposa de Hitler pode ter tido origem judaica

Eva Braun pode ter sido descendente de judeus asquenazes. Análises foram feitas em cabelos encontrados em escova na casa do casal. Eva Braun, a esposa de Adolf Hitler, pode ter tido origens judaicas, segundo novas análises de DNA realizadas para um documentário que será transmitido na quarta-feira (9) pelo canal britânico Channel 4. A tese se apoia na análise de cabelos provenientes de uma escova encontrada em Berghof, a residência de Hitler na Baviera, onde Eva Braun passou a maior parte do tempo durante a Segunda Guerra Mundial. Nos cabelos, os pesquisadores encontraram uma sequência específica de DNA "fortemente associada" aos judeus asquenazes, que representam aproximadamente 80% da população judaica. Na Alemanha, muitos judeus asquenazes se converteram ao catolicismo no século XIX. 'Descoberta Impressionante' "É uma descoberta impressionante. Jamais teria imaginado ver um resultado potencialmente tão extraordinário", comentou Mark Evans, o a

A Tumba do Imperador Qin Shi Huang

A descoberta dos primeiros guerreiros e cavalos aconteceu por acaso, em 1972, quando um camponês cavava um poço para obter água e se deparou com algumas estátuas. As figuras encontradas nas escavações foram esculpidas à mão pelos artesãos em tamanho real e estão em rígida formação militar. O mausoléu conta com 400 tumbas, além de 7 mil estátuas de guerreiros e cavalos, e 100 carros de combate. O numeroso exército, porém, com um total estimado em 8 mil peças, na verdade ocupa apenas uma fração do complexo de sepulturas, ainda em grande parte não escavado, que se estende por 56 quilômetros quadrados e cuja construção teria exigido uma força de trabalho de cerca de 700 mil pessoas. Os chineses acreditavam na vida após a morte, e o exército foi criado para acompanhar o Imperador Qin em sua suposta vida além-túmulo. Quando foi descoberto, o exército estava disposto em formação completa de batalha, e incluía a linha de infantaria, arqueiros ajoelhados e carroças com seus cavalos e c

Tigela da dinastia Ming é vendida pelo preço recorde de US$ 36,05 milhões (2014)

Um bilionário chinês comprou nesta terça-feira (8) em Hong Kong um tigela da dinastia Ming por US$ 36,05 milhões (cerca de R$ 80 milhões), um novo recorde mundial para a porcelana chinesa, anunciou a casa de leilões Sotheby's. A marca anterior foi estabelecida em 2010 para um jarro da era Qianlong (1735-1796), vendido por US$ 32,58 milhões (R$ 71,8 milhões). Diretor da casa de leilões Sotheby’s Ásia mostra tigela da dinastia Ming leiloada por US$ 36 milhões (Foto: Vincent Yu/AP) A pequena tigela com desenhos policromáticos sobre o fundo branco é considerada extremamente rara. Foi fabricada na era Chenghua (1465-1487). Um galo vermelho, uma galinha e seus pintinhos aparecem no objeto em um jardim de rosas vermelhas e açucenas amarelas, que tem o esmalte e verniz intactos. A taça é o "Graal da arte chinesa", afirmou Nicolas Chow, vice-presidente da Sotheby's Ásia, ao informar que foi adquirida pelo bilionário Liu Yiqian, um ex-taxista de Xangai que se dedico

Uma casa estava fechada desde 1942, revelou surpresas incríveis

Como um túnel do tempo, imóvel de luxo que havia sido abandonado na década de 1940 foi reaberto e se mostrou uma grata surpresa para a família da proprietária. Esta casa pertenceu a Madame de Florian, uma atriz francesa. O imóvel de 140 metros quadrados localizado em área nobre da capital francesa, próximo à célebre ópera Palais Garbier, estava fechado desde 1942. Pertencente a uma famosa - e abastada - atriz e socialite parisiense, Madame de Florian, foi abandonado quando a dona se viu obrigada a fugir das ameaças da 2ª Guerra Mundial com o avanço das tropas de Adolf Hitler. Ela foi embora deixando tudo para trás.  O apartamento foi descoberto somente depois que a mulher morreu, aos 91 anos, em 2010. Com a realização do inventário, a família teve conhecimento do bem a poucos passos da Igreja da Santíssima Trindade. Depois que Madame de Florian se mudou para o sul do país, nunca mais voltou ao local, apesar do fim do conflito. Mesmo assim, continuou pagando o aluguel, até o últim

Carta escrita na noite do naufrágio do Titanic vai a leilão

A única carta conhecida e datada da noite em que o Titanic se chocou contra um iceberg pode alcançar 165.200 dólares em um leilão que será realizado no próximo dia 26 no Reino Unido, informou nesta terça-feira a casa responsável pelo artigo Henry Aldridge & Son. A carta foi escrita por Esther Hart, uma das sobreviventes da tragédia, e estava destinada a sua mãe, que morava na cidade de Chadwell Heath, no condado de Essex, em Londres. Na noite em que Hart escreveu a correspondência, que jamais foi enviada, em 14 de abril de 1912, o Titanic bateu em um iceberg e afundou ao sul de Terranova, no Canadá. O navio fazia então sua viagem inaugural, do porto inglês de Southampton a Nova York. Esther Hart e sua filha Eva, de 7 anos, foram resgatadas após a tragédia. Seu marido, Benjamin, morreu no naufrágio. O Titanic parte rumo a Nova York; o navio naufragaria na madrugada de 15 de abril de 1912  (Central Press/Hulton Archive) A correspondência, que traz o logotipo da bandeira