Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2014

Chapéu de Bonaparte é vendido por quase dois milhões de euros

Um chapéu de feltro preto do imperador francês Napoleão Bonaparte foi vendido este sábado por quase dois milhões de euros , segundo conta a rádio RTL. O nome do comprador não foi revelado, mas é sabido que procede da Coreia do Sul. O colecionista pagou pela relíquia 1.884.000 euros. O custo estimado do chapéu oscilava entre 300 e 400 mil euros, mas alguns especialistas não descartavam que poderia ser comprado mesmo por dois milhões de euros. Foto: AP/Remy de la Mauviniere Leia mais:  http://portuguese.ruvr.ru/2014_11_16/Chap-u-de-Bonaparte-vendido-em-Fran-a-por-quase-dois-milh-es-de-euros-6296/ É sabido que este é um dos quase 120 chapéus que Napoleão usou durante as batalhas. O chapéu não corresponde ao uniforme de nenhum ramo do Exército Francês de então. Ao total, há 19 chapéus do imperador que sobreviveram até os nossos dias. Alguns deles estão em coleções particulares, outros em museus. Chapéu de Napoleão Bonaparte  (AFP) Fonte: Radio Voz da Russia.

Aquarela pintada por Hitler é leiloada por R$ 400 mil na Alemanha

Quadro de 24 x 28 cm foi pintado antes de alemão se tornar ditador. Comércio de pintura de Hitler só é liberado se não tiver símbolos nazistas. Aquarela pintada por Hitler foi vendida por 130 mil euros em leilão. A imagem mostra a antiga prefeitura de Munique, na Alemanha (Foto: AP Foto/Michael Probst) Uma aquarela pintada por  Adolf Hitler   foi leiloada neste sábado (22) em Nuremberg, na Alemanha, por 130 mil euros (cerca de R$ 400 mil), informou a casa de leilões Weidler. O quadro, de 24 por 28 centímetros, foi adquirido por um comprador anônimo do Oriente Médio. O comprador da época era o avô de duas irmãs que hoje têm cerca de 70 anos e que entregaram a aquarela à casa de leilões. O alto preço surpreendeu a casa de leilões. Um dos fatores que valorizou o produto é o fato de que está conservada a nota de venda original de 1916, quando o quadro foi comprado em uma galeria de Munique. O comércio de pinturas de Hitler só está proibido na Alemanha nos casos em que nas ob

Participação do Brasil na 1ª Guerra trouxe ganhos modestos e baque econômico

A Primeira Guerra Mundial, cujo armistício é comemorado nesta terça-feira, teve um impacto significativo no Brasil - apesar de uma participação simbólica do país no conflito, marcada por uma tragédia e uma "batalha cômica". Participação militar brasileira na Primeira Guerra Mundial foi discreta, mas conflito deu início a mudanças substanciais na realidade do país   Para o historiador Francisco Luiz Vinhosa, um dos efeitos foi expor as fragilidades da economia brasileira, na época extremamente dependente das exportações de café. "O principal legado da Primeira Guerra Mundial para o Brasil foi revelar nosso atraso político e econômico. O país perdeu oportunidades de usar o conflito, a começar pela decisão de escolha de lado. A Alemanha, por exemplo, ofereceria ao Brasil uma chance de escapar do imperialismo da Grã-Bretanha", afirma Vinhosa, autor de  O Brasil e a Primeira Guerra Mundial , um dos mais completos estudos sobre o tema, lançado em 1990. Neutro du

Treze anos após ataque, empresas retornam ao World Trade Center

Mais de 13 anos depois que as torres gêmeas originais foram derrubadas no ataque terrorista de 11 de setembro, o World Trade Center está de volta ao mundo dos negócios. O novo edifício construído em Manhattan a poucos metros de onde fica o memorial e o museu erguidos no lugar das torres foi inaugurado nesta segunda-feira. Com 541 metros de altura e 104 andares, o One World Trade Center, como é chamado agora, levou oito anos para ser construído e custou um total de US$ 3,9 bilhões (R$ 9,75 bilhões). Na reinauguração, cerca de 175 funcionários da editora Conde Nast (das revistas  New Yorker  e  Vanity Fair ) foram os primeiros a ocupar os andares do prédio, que, segundo os responsáveis pela obra, pode ser considerado "o mais seguro dos Estados Unidos". O concreto utilizado no edifício é sete vezes mais resistente que o concreto normal e o design do prédio foi feito para que, mesmo que haja uma colisão com um avião, as pessoas no topo possam deixar a torre com segurança.

Submarino alemão da Segunda Guerra Mundial encontrado a 48 km dos EUA

Um submarino alemão e um navio comercial americano da época da Segunda Guerra Mundial foram encontrados perto da costa do estado norte-americano da Carolina do Norte, informa o site The Local. Investigadores da Direção Nacional de Estudos Oceanográficos e Atmosféricos dos EUA conseguiram encontrar os dois navios a 48 km da costa da Carolina do Norte. Os barcos encontravam-se a uma distância de 240 metros um do outro. "Entre a maioria das pessoas, a luta pelo Atlantico é associada ao frio, água com gelo no Atlântico Norte, mas poucos têm consciência de quão perto esteve a guerra das costas americanas", declarou David Alberg, representante da organização. O choque dos navios ocorreu a 15 de julho de 1942, quando um comboio de navios mercantes, acompanhados da cidade de Norfolk, (estado da Virgínia) até ao estado da Flórida, foram atacados pelo submarino alemão U-576. Fonte: Voz da Russia

Salvador Dalí ganha exposição em São Paulo

Pintor, desenhista, pensador, escritor, apaixonado pela ciência, catalisador das correntes de vanguarda, ilustrador, designer, cineasta e cenógrafo. Salvador Dalí (1904-1989), inacreditavelmente, reuniu em uma só vida todos esses predicados. E não foi só isso: deixou uma obra singular, para lá de genial, que pode ser vista a partir de hoje no Instituto Tomie Ohtake (Rua Coropés, 88) até dia 15 de janeiro. A curadoria é de Montse Aguer, diretora do Centro de Estudos Dalinianos da Fundação Gala-Dalí. Trata-se de uma retrospectiva de seu trabalho a partir da década de 1920 até a última, que ajuda a contar sua história, influências e versatilidade. A curadora do núcleo de pesquisas do Tomie Ohtake, Priscyla Gomes, conta que foram cinco anos de pesquisas e negociação com os detentores das obras de Dalí – a Fundação Gala-Salvador Dalí, em Figueres, Espanha; o Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofía, em Madri, capital espanhola; e o Museu Salvador Dalí, na Flórida, Estados Unidos – par

Arqueólogo descobre sepultura de 'vampiro' da Idade Média

A descoberta foi feita pelo professor Nikolai Ovcharov, conhecido como o "Indiana Jones da Bulgária", que tem dedicado sua vida a desenterrar mistérios de civilizações antigas. O arqueólogo descobriu os esqueletos enquanto escavava as ruínas de Perperikon, uma cidade da Trácia antiga, localizada no sul da Bulgária e perto da fronteira com a Grécia. O indício de que um dos corpos encontrados se tratava  de um suposto “vampiro” é que ele estava com um pedaço de ferro cravado no peito. A perna esquerda abaixo do joelho também tinha sido removida e deixada ao lado do esqueleto. A ossada data do século XIII, época em que se acreditava que um vampiro só podia ser morto com uma punhalada no coração. Nikolai Ovcharov mostra parte das ossadas do suposto 'vampiro' na Bulgária A descoberta é a terceira na Bulgária e tem uma forte semelhança com duas sepulturas anteriores encontradas em 2012 e 2013 na cidade litorânea búlgara de Sozopol, a 200 quilômetros a leste de Per

DNA revela identidade de Jack, o estripador, garante novo livro

Segundo empresário, assassino era imigrante polonês de 23 anos. Análise foi feita em xale ensanguentado de uma das vítimas. Jack, o estripador, um assassino em série que aterrorizou Londres nos anos 1880, foi finalmente identificado a partir de material genético presente em um xale ensanguentado de uma de suas vítimas, de acordo com um novo livro. O autor Russell Edwards identifica o imigrante polonês Adam Kosminski, de 23 anos, como o célebre serial-killer, acusado dos violentos assassinatos de pelo menos cinco mulheres em 1888. Em seu livro "Naming Jack the Ripper", que será lançado na terça-feira (9), um empresário do norte de Londres liga Kosminski aos crimes através do DNA encontrado em um xale apreendido por um policial na cena do crime do quarto assassinato cometido por Jack, o de Catherine Eddowes. O xale, que nunca foi lavado e foi mantido em segurança por descendentes do policial, foi comprado por Edwards em um leilão em 2007. Com a ajuda de especiali

Hitler sonegava impostos e tinha bilhões em conta na Suíça

Pesquisadores concluíram que o ditador acumulou cerca de R$ 13,5 bilhões. Para os alemães, ele dizia não ter nenhuma conta bancária. Historiadores descobriram que Adolf Hitler sonegava impostos e escondia  uma vasta fortuna em contas bancárias na Suíça. As informações são do Daily Mail.  Segundo a publicação, o ditador acumulou muito dinheiro em contas   internacionais e escondia a quantia do povo alemão. Estima-se que o valor  acumulado seja equivalente a R$ 13,5 bilhões. Com um discurso que beirava à humildade, Hitler dizia que levava consigo  uma pequena quantidade de dinheiro e que nem mesmo tinha uma conta bancária.   Além disso, o ditador chegou a escrever um testamento que anunciava que ele  não tinha nenhuma riqueza e que o que tinha poderia ser doado ao povo.  Fonte: Terra.

Novo estudo pode ter descoberto possíveis construtores de Stonehenge

Um dos enigmas mais profundos e discutidos da civilização voltou a ser notícia: a majestosa construção de Stonehenge, o monumento que se encontra no Reino Unido desde tempos imemoriais e cuja origem pouco se sabe (embora exista muita especulação). Desta vez, a pesquisa que afirma ter resolvido o mistério definitivamente não questiona como ou quando o monumento foi construído, mas por quem. De acordo com especialistas da Universidade de Buckingham envolvidos na pesquisa, os autores e construtores de Stonehenge não foram imigrantes da Europa continental, como muitas hipóteses indicam, mas nativos das ilhas que compõem a Grã-Bretanha hoje. De acordo com o The Huffington Post, o   estudo   desta equipe científica, liderada por David Jacques, realizou uma escavação arqueológica a 2,5 km do monumento, e ali foram encontradas ferramentas feitas com ossos de animais extintos, o que também teria servido como alimento para as   pessoas   que viviam na região desde os tempos antigos. A d

Empresa faz expedição turística até os destroços do navio por R$ 130 mil

Há 102 anos, na madrugada do dia 14 para 15 de abril, o Titanic se chocava a um iceberg no Atlântico Norte. Entre a batida e o fim do naufrágio foram pouco mais de 2h40 e cerca de 1500 mortos. Por muitas décadas, a comovente história do Titanic foi esquecida e tratada como passado até que em 1985 foram localizados os destroços do navio. Submerso a 3,8 mil metros de profundidade, o transatlântico foi localizado por uma expedição liderada por Robert Ballard. Desde então, várias de expedições partiram rumo a escuridão do fundo do atlântico. O Titanic levou consigo o que havia de mais moderno e luxuoso em relação a embarcações naquele fatídico ano de 1912. Porém, após mais de um século do naufrágio são os turistas que vão ver de perto a história do navio. Desde sua descoberta, apenas uma companhia atuou na área com fins turísticos. Uma empresa inglesa mantém viagens constantes para visitação dos destroços do navio. Sediada na Inglaterra, mas operando a partir de St. John’s, na Te

A Múmia Ötze

Em 19 de setembro de 1991, um casal de alpinistas encontrou uma múmia muito bem conservada, de cerca de 5300 anos, nos Alpes italianos. Apelidado de Ötzi, por ter sido encontrado na região dos Alpes de Ötztal perto do monte Similaun, na fronteira da Áustria com a Itália, o corpo é de um homem que tinha entre 30 e 45 anos e media, aproximadamente, 1.65m de altura. A múmia está exposta no Museu de Arqueologia do Tirol do Sul, Bolzano, Itália. Sua morte, de acordo com um estudo de 2007, foi provocada pelos ferimentos de uma flechada no ombro. Os pesquisadores acreditam que ele era um caçador, que deveria estar com outros colegas, e que eles podem ter travado uma luta com algum grupo rival.    O homem tinha 57 tatuagens, algumas localizadas ou próximas de pontos que coincidem com os da acupuntura, que podem ter sido feitas para tratar doenças. Suas roupas eram bastante adaptadas ao frio, com sapatos largos e à prova d'água, aparenteme nte feitos para caminhar na

Documentos do FBI dizem que Hitler fugiu para a Argentina

Documentos revelados pelo FBI revelam que Adolf Hitler terá fugido para a Argentina de submarino no fim da Segunda Guerra Mundial. E que o ditador sofria de asma e úlceras. De acordo com o jornal Express, os dados foram fornecidos em 1945 ao FBI por um informador argentino, que em troca pretendia asilo. Este informador disse ainda que o líder nazi tinha cortado o seu bigode e vivia num rancho fortemente vigiado. "Se forem a um hotel em San Antonio, Argentina, consigo arranjar um homem que se encontre lá com vocês e vos diga onde é o rancho onde está Hitler", disse o informador. A informação chegou ao líder do FBI, J. Edgar Hoover, que a reencaminhou para o Departamento de Guerra. No entanto, num documento de 21 de setembro de 1945, os agentes do FBI concluiram que devido à pouca informação seria impossível continuar a seguir esta pista. Fonte: G1

Arqueólogos descobrem o que pode ter sido a cidade pré histórica mais antiga da Europa

Um grupo de arqueólogos acredita ter encontrado na Bulgária a cidade pré histórica mais antiga já descoberta na Europa, com a existência  datada de aproximadamente 5 mil anos antes de Cristo, ou seja, antes mesmo do surgimento da antiga civilização grega. O assentamento pré histórico, que contava com uma população de aproximadamente 350 pessoas, está localizado próximo à pequena cidade de Provadia, nas imediações do resort Varna nas margens do Mar Negro. Entre as ruínas os pesquisadores encontraram casas de dois pavimentos, muralhas de fortificação e partes de uma porta de entrada. Considerado tão valioso quanto o ouro, na época, o sal, possivelmente, era o produto que movia a economia local. Conforme explicam os pesquisadores, os residentes locais provavelmente ferviam a água salobra disponível na região para produzir barras de sal, que eram utilizadas como moeda de troca. Fonte: Megacurioso

Hatshepsut, a Primeira Faraó Mulher do Egito

Nascida em Tebas, capital do Egito durante o Império Novo, Hatshepsut foi a filha mais velha do rei Tutmés I e da rainha Amósis , e viveu durante a XVIII dinastia egípcia.  Após a morte do seu pai, Hatshepsut casou-se com seu meio irmão e herdeiro do trono, Tutmés II , seguindo um costume que existia no Antigo Egito onde membros da família real se casavam entre si.  Com a morte de Tutmés II, o único herdeiro homem erá o filho dele com uma concubina, porém por ser apenas uma criança ele não pôde assumir o poder. Hatshepsut assumiu o poder e no começo de seu reinado não exigiu as regalias reservadas aos faraós, que eram governantes e sacerdotes da religião local. Aos poucos foi testando seu poder, para ver até onde iam os limites impostos pela sociedade egípcia às mulheres, pois almejava o posto de faraó. Hatshepsut, então declara publicamente ser filha do deus Amon-Rá, que se apresentara à sua mãe como Tutmés I.  Nos templos de Deir el-Bahari e de Amon-Rá ela consolidou seu

Teste de DNA sugere que esposa de Hitler pode ter tido origem judaica

Eva Braun pode ter sido descendente de judeus asquenazes. Análises foram feitas em cabelos encontrados em escova na casa do casal. Eva Braun, a esposa de Adolf Hitler, pode ter tido origens judaicas, segundo novas análises de DNA realizadas para um documentário que será transmitido na quarta-feira (9) pelo canal britânico Channel 4. A tese se apoia na análise de cabelos provenientes de uma escova encontrada em Berghof, a residência de Hitler na Baviera, onde Eva Braun passou a maior parte do tempo durante a Segunda Guerra Mundial. Nos cabelos, os pesquisadores encontraram uma sequência específica de DNA "fortemente associada" aos judeus asquenazes, que representam aproximadamente 80% da população judaica. Na Alemanha, muitos judeus asquenazes se converteram ao catolicismo no século XIX. 'Descoberta Impressionante' "É uma descoberta impressionante. Jamais teria imaginado ver um resultado potencialmente tão extraordinário", comentou Mark Evans, o a

A Tumba do Imperador Qin Shi Huang

A descoberta dos primeiros guerreiros e cavalos aconteceu por acaso, em 1972, quando um camponês cavava um poço para obter água e se deparou com algumas estátuas. As figuras encontradas nas escavações foram esculpidas à mão pelos artesãos em tamanho real e estão em rígida formação militar. O mausoléu conta com 400 tumbas, além de 7 mil estátuas de guerreiros e cavalos, e 100 carros de combate. O numeroso exército, porém, com um total estimado em 8 mil peças, na verdade ocupa apenas uma fração do complexo de sepulturas, ainda em grande parte não escavado, que se estende por 56 quilômetros quadrados e cuja construção teria exigido uma força de trabalho de cerca de 700 mil pessoas. Os chineses acreditavam na vida após a morte, e o exército foi criado para acompanhar o Imperador Qin em sua suposta vida além-túmulo. Quando foi descoberto, o exército estava disposto em formação completa de batalha, e incluía a linha de infantaria, arqueiros ajoelhados e carroças com seus cavalos e c