Pular para o conteúdo principal

Cinco mitos do R.M.S Titanic

Foi por volta de 11:40 da noite do dia 14 de abril de 1912 que o navio RMS Titanic atingiu um iceberg e causou uma das maiores fatalidades navais de toda a história.

Apesar de o filme Titanic (de James Cameron, lançado em 1997) ter alcançado imenso sucesso, ele não foi o primeiro a homenagear o navio transatlântico.

E o que poucas pessoas sabem é que muitos dos relatos mostrados nos filmes não condizem com a realidade vivida pelos tripulantes e passageiros do navio.

Confira agora quais são os cinco maiores mitos que o cinema ajudou a divulgar, mas que podem ser apenas histórias fantasiosas criadas para aumentar a atmosfera mitológica do Titanic.

1. “Nem Deus pode afundar o Titanic”
Apesar de essa frase ser muitas vezes repetida para mostrar que os grandes nomes da White Star Line (a empresa responsável pelo navio) e o comandante da embarcação estavam superestimando o poder do Titanic – e que, claramente, haviam se enganado –, ela pode não ser real. 
Pelo menos é o que afirma Richard Howells, especialista do Kings College de Londres.

Ele afirma que esse mito pode ter sido introduzido no imaginário popular após o acidente. Segundo o pesquisador, a White Star Line nunca disse que o navio era invulnerável. Há também relatos de que havia muito menos publicidade em torno do Titanic do que se imagina, pois o grande nome da construção naval na época era o Olympic – um navio-irmão do Titanic criado pela mesma empresa e responsável pelo mesmo trajeto em anos anteriores.

2. A última música
Em diversos filmes sobre o Titanic, o grupo de música é mostrado tocando o hino cristão “Nearer, My God, To Thee (Mais perto, meu Deus, para Ti)”. 


Até hoje não se sabe se era realmente essa a canção que os instrumentistas do transatlântico estavam tocando no momento do naufrágio. Pode-se dizer que a origem do mito tenha sido o jornal Daily Mirror (da Inglaterra), que afirmou que eles estavam tocando a canção enquanto o barco afundava – em uma tentativa de romantizar o acontecimento.

Em 1958, o filme “A Night to Remember” mostrou o naufrágio do Titanic ocorrendo com a já mencionada canção. James Cameron achou a sincronia entre música e imagens perfeita e decidiu utilizar a mesma ideia em seu filme.

Há duas diferenças básicas nas versões: a de 1958 mostra os músicos cantando até o momento em que a água começa a arrastá-los; enquanto na de 1997, eles tocam uma versão instrumental de “Nearer, My God, To Thee”, que é interrompida quando um dos violinistas diz: “Senhores, foi um privilégio tocar com vocês esta noite”.


3. O capitão Smith não foi um herói
Todos os filmes mostram o capitão Smith como um verdadeiro herói no naufrágio. Há, inclusive, histórias de que após o afundamento completo do Titanic, ele podia ser visto nadando com uma criança nos braços para salvá-la da morte. Segundo o site da BBC, várias estátuas erguidas em sua homenagem na Inglaterra.

Mas ao que dizem alguns especialistas sobre o naufrágio, todo o heroísmo e esforços para salvar os passageiros pode não ter sido tão real assim.


Nos primeiros minutos após o acidente, botes de salvamento com espaço para 65 pessoas abandonaram o navio com menos de 30 pessoas e não retornaram para salvar outras vítimas.

Paul Lounden-Brown, da Sociedade Histórica Titanic, diz que o único culpado pelo acidente é o Capitão e nenhuma outra pessoa da cabine de comando pode ser responsabilizada. Uma de suas decisões mais equivocadas foi não ter avisado a todos os passageiros que havia acontecido um acidente.

O pesquisador afirma que a ordem de abandonar o navio nunca foi dada. Por isso, é muito provável que centenas de pessoas tenham morrido sem nem ao menos ficarem sabendo que havia acontecido um acidente. 


John Graves (do Museu Marítimo Nacional, em Londres) diz que Smith pode ter entrado em choque por não possuir um plano de evacuação, por isso não conseguiu tomar qualquer decisão importante.

4. J. Bruce Ismay: o empresário vilão
Filmes sobre o naufrágio costumam mostrar J. Bruce Ismay – o presidente da White Star Line – como um homem covarde que abandonou o Titanic no primeiro bote salva-vidas a ser lançado no mar. 

A origem do mito pode ter sido outro acidente com navios da White Star, quando o próprio Ismay recusou-se a cooperar com William Randolph Hearst, um grande magnata da imprensa norte-americana.

Depois do acidente com o Titanic, Hearst pode ter se aproveitado para acusar Ismay como forma de vingança. Muitos dos jornais ligados ao magnata o chamavam de J. Brute Ismay (um trocadilho com seu nome, o acusando de ser um animal irracional), o que contribuiu bastante para que a imagem de covarde fosse proliferada.

Os especialistas consultados pela BBC afirmam que há vários relatos de sobreviventes que foram ajudados por Ismay, antes que ele pudesse colocar-se nos botes para salvar sua vida. Mesmo assim, a imprensa continuou acusando o presidente da White Star Line. Em 1913, ele se afastou da companhia, falido.

5. A terceira classe foi abandonada para a morte
Nos filmes que mostram o naufrágio do transatlântico, a terceira classe é mostrada de maneira completamente separada das outras – e isso fica mais claro na versão de James Cameron, em que há destaque para personagens de lá. 


Os portões de separação realmente existiam, não para evitar que eles pudessem entrar nos botes, mas para o cumprimento de normas sanitárias dos Estados Unidos.

Como no navio havia muitos imigrantes que queria tentar uma nova vida na América, o Titanic teria que parar em Ellis Island para que houvesse uma inspeção sanitária e burocrática dos passageiros (que vinham de países como China, Holanda, Itália, Armênia, Rússia, Escandinávia e Siria). E para evitar que qualquer doença fosse transmitida às demais pessoas, havia a separação – respeitando normas dos Estados Unidos.

A terceira classe possuía seus próprios botes salva-vidas, mas para chegar até eles seria necessário percorrer uma série de corredores que mais se pareciam com labirintos. Por isso, muitos acabaram morrendo afogados dentro do navio. 


Também há várias evidências de que, ao chegar ao local onde deveriam estar os botes, muitos deles já haviam sido levados para o mar.

Nas conclusões finais do inquérito sobre o naufrágio, foi constatado que “não houve evidências de que houve alguma tentativa de deixar, deliberadamente, os passageiros da terceira classe morrerem“


Vale lembrar que a maior parte das mortes ocorreu entre passageiros da terceira classe e tripulação: de 1.616 pessoas, apenas 394 se salvaram.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

História do Batman

Batman  é um  personagem fictício , um super-herói da  banda desenhada  americana publicada pela  DC Comics . O herói mascarado criado pelo cartunista Bob Kane tornou-se, ao longo de seus 80 anos, um ícone da cultura pop, ultrapassando as páginas das histórias em quadrinhos.  Estimulada pelo sucesso do Superman, publicado na revista Action Comics , a National Publications ( editora que se tornou hoje a DC Comics ) contratou Kane para criar um novo herói, cujo visual se baseou nos desenhos de Leonardo Da Vinci que mostrava um homem voando com asas. Com a colaboração do escritor Bill Finger, que lapidou o visual e as ideias apresentadas, Batman chegou às páginas de “Detective Comics” #27 (Maio de 1939). A duplicidade de Bruce Wayne, um aristocrata que leva vida dupla para punir os criminosos, era uma óbvia referência ao “Zorro” de Johnston McCaulley . A inspiração para Batman ainda incluía o aspecto soturno e violento do Sombra (de Walter Gibson) com o qual Batman estimula

Hatshepsut, a Primeira Faraó Mulher do Egito

Nascida em Tebas, capital do Egito durante o Império Novo, Hatshepsut foi a filha mais velha do rei Tutmés I e da rainha Amósis , e viveu durante a XVIII dinastia egípcia.  Após a morte do seu pai, Hatshepsut casou-se com seu meio irmão e herdeiro do trono, Tutmés II , seguindo um costume que existia no Antigo Egito onde membros da família real se casavam entre si.  Com a morte de Tutmés II, o único herdeiro homem erá o filho dele com uma concubina, porém por ser apenas uma criança ele não pôde assumir o poder. Hatshepsut assumiu o poder e no começo de seu reinado não exigiu as regalias reservadas aos faraós, que eram governantes e sacerdotes da religião local. Aos poucos foi testando seu poder, para ver até onde iam os limites impostos pela sociedade egípcia às mulheres, pois almejava o posto de faraó. Hatshepsut, então declara publicamente ser filha do deus Amon-Rá, que se apresentara à sua mãe como Tutmés I.  Nos templos de Deir el-Bahari e de Amon-Rá ela consolidou seu

Tutankamon - A múmia mais famosa

Tutankamon, também conhecido como o “Faraó Menino” , nasceu em 1341 a.C e morreu em 1323 a.C. Foi faraó do Egito Antigo entre os anos de  1332–1323 a.C. na cronologia egípcia . Era filho do faraó Akhenaton c om alguma irmã do próprio  Akhenaton   ou possivelmente uma de suas primas. Ele subiu ao trono com a idade de nove ou dez anos.  Sua  ama de leite  foi uma mulher chamada Maia, segundo conta em seu túmulo em  Sacará  . Seu professor foi Sennedjem. O nome  Tutankamon siginifica  "Imagem viva de Amom" , reforçando a restauração de Amom. Tutankamon  era magro e tinha quase 1,67 cm de altura.  Ele tinha grandes incisos frontais e a arcada dentária superior projetada para frente, característica da linhagem real  Tuteméses  à qual pertencia. Ainda existem muitas dúvidas sobre a vida de Tutankamon. Foi o último faraó da 18º dinastia. Durante seu curto período de governo, levou a capital do Egito para Memphis e retomou o politeísmo, que havia sido abandonado pelo pai

Horror em Amityville – A História real

Em Junho de 1965, o Sr. Ronald DeFeo adquiriu a casa nº 112 na rua Ocean Avenue. Era uma casa linda, com uma arquitetura ao estilo Holandês, bastante espaçosa e com uma casa de barcos, um anexo com ligação ao rio. "Parecia o Sonho Americano: uma casa de sonho, família feliz e muito dinheiro para gastar." Os DeFeo até colocaram uma tableta em frente á sua casa onde se podia ler  ”Grandes Esperanças” , como que um símbolo da fortuna da família. Mas havia um lado negro escondido na família, o filho mais velho do casal,  Ronald "Butch" Júnior , consumia drogas e praticava pequenos roubos, o que levava a frequentes e violentas discussões com o seu pai. A familia Defeo. No dia  13 de Novembro de 1974  enquanto toda a família dormia nos seus quartos, Ronald "Butch" Júnior estava a ver televisão no segundo piso, quando se levantou e pegou na sua carabina (Marlin Rifle .35).  Dirigiu-se primeiro ao quarto de seus pais e disparou dois tiros contra

Suástica gravada na estátua de Buda, na Coréia.

A imagem da cruz suástica é um dos amuletos mais antigos e universais do mundo, sendo utilizada desde o Período Neolítico. Foi adotada em diversas culturas, sem qualquer interferência umas co m as outras. Especulou-se até que a difusão da suástica entre diversas culturas mundiais (Índia, África, América do Norte e do Sul, Ásia e Europa) apontava para uma origem comum, possivelmente da lendária Atlântida. As primeiras formas similares à suástica estão conservadas em vasos cerâmicos datados de cerca de 4000 a.C., em antigas inscrições europeias, e como parte da escrita encontrada na região do Indo, de cerca de 3000 a.C., a qual religiões posteriores (hinduísmo e budismo) passaram a usar como um de seus símbolos. Na Antiguidade, a suástica foi usada largamente pelos indo-arianos, hititas, celtas e gregos, dentre outros. Ela ocorre em outras culturas asiáticas, europeias, africanas e indígenas americanas, na maioria das vezes como elemento decorativo, eventualmente como símbolo religi

O Misterioso Lago Ness

O  lago Ness  ( Loch Ness ) é um  lago  de água doce localizado em  Highland  na  Escócia , de forma estreita e alongada com cerca de 37 quilómetros de comprimento. O lago ocupa uma área de cerca de 56,4 km² e tem uma profundidade máxima de 226 metros.  A visibilidade da água é extremamente reduzida devido ao teor de  turfa  dos solos circundantes, que é trazida para o lago através das redes de drenagem. Pensa-se que o lago Ness tenha sido modelado pelos  glaciares   da última  era glacial . A torre do Castelo de Urquhart, com o Lago Ness ao fundo. O  monstro do lago Ness: Também conhecido por  Nessie , é um  criptídeo aquático que alegadamente foi visto no  Lago Ness, nas  Terras Altas  da  Escócia , no  Reino Unido . A sua existência (ou não) continua a suscitar debate entre os  cépticos  e os crentes, e é um dos mistérios da  criptozoologia .   Rumores acerca de uma criatura estranha em Loch Ness existem há pelo menos 1595 anos . O primeiro registro escrito aparece na  Vid

Tigre da Tasmânia ou Lobo da Tasmânia

      O Tigre da Tasmânia ou Lobo da Tasmânia ou Tilacino era um marsupial carnívoro que foi extinto há 67 anos atrás, viveu na Tasmânia, próximo a Austrália, no atual Holoceno, era do tamanho de um "grande cachorro" com uma "cabeça de raposa" e a partir do meio do corpo até a cauda apresentava listras iguais às dos tigres, sendo os machos pouco maiores que as fêmeas, estas as quais possuíam uma bolsa, que é característica dos marsupiais.   O Tigre da Tasmânia era um caçador solitário, caçando às vezes em pares, seu método era escolher um animal, como um pequeno canguru e então segui-lo até cansá-lo, pulando então sobre ele e matando-o com suas fortes maxilas, as quais podiam atingir uma abertura angular de maxilares de 120 graus. O Tigre da Tasmânia ganhou fama de assassino de gado e ovelhas, fato este que nunca foi comprovado, mas por causa desta fama tanto os criadores de ovelhas como o próprio governo ofereciam uma boa recompensa em dinheiro pela sua

A verdade sobre "A Bruxa de Blair"

A Cidade de Blair é fundada,em fevereiro de 1785, ela é  uma antiga cidade mineira, atualmente uma " cidade fantasma" , no  condado de Esmeralda , estado de  Nevada , nos  Estados Unidos . Entenda o caso: Diversas crianças acusaram Elly Kedward de atraí-las para sua casa e retirar sangue delas e  uma série de experimentos aterrorizantes . Elly é culpada por feitiçaria e banida do vilarejo durante um rigoroso inverno e tida como morta. Os habitantes locais acreditavam que depois de abandonar Elly para morrer na floresta ela lançou uma terrível praga no local e amaldiçoou  a todos os envolvidos nessa sua expulsão. O que causou um reboliço sem precedentes e uma histeria coletiva envolvendo o nome de Elly. Entenda a cronologia da história: Novembro de 1786: No meio do inverno, todos aqueles que acusaram Kedward e a metade das crianças da cidade desaparecem de Blair e  juraram nunca mais mencionar o nome de Elly Kedward de novo. Novembro de 1809: O livro

Annabelle, a verdadeira história da boneca do mal

O ano era 1970, a jovem Donna era uma estudante universitária que estava quase concluindo seu curso em enfermagem. Ela dividia um minúsculo apartamento com Angie , uma outra estudante do mesmo curso, em uma outra cidade.  Donna era apaixonada por bonecas e, pensando nisso, sua mãe foi até uma Hobby Store (loja especializada em bonecas para colecionadores) e presenteou a filha com uma Raggedy Ann em seu aniversário. Feliz com seu novo presente, a jovem deixo-o sobre sua cama, como uma decoração e recordação de sua mãe, que estava longe dela nesse momento. Até então, tudo normal, nada de ruim foi relatado, mas a situação mudou alguns dias depois. Donna e Angie começaram a perceber que algo estranho estava acontecendo. A boneca sumia de um lugar e aparecia em outro, mudavam de posição, de cômodo, como se estivesse se movendo sozinha. Algumas vezes ela aparecia sentada no sofá, com as pernas e braços cruzados, em outros momentos ela estava em pé sobre a cadeira da cozinha. Quando Donn

A Tumba do Imperador Qin Shi Huang

A descoberta dos primeiros guerreiros e cavalos aconteceu por acaso, em 1972, quando um camponês cavava um poço para obter água e se deparou com algumas estátuas. As figuras encontradas nas escavações foram esculpidas à mão pelos artesãos em tamanho real e estão em rígida formação militar. O mausoléu conta com 400 tumbas, além de 7 mil estátuas de guerreiros e cavalos, e 100 carros de combate. O numeroso exército, porém, com um total estimado em 8 mil peças, na verdade ocupa apenas uma fração do complexo de sepulturas, ainda em grande parte não escavado, que se estende por 56 quilômetros quadrados e cuja construção teria exigido uma força de trabalho de cerca de 700 mil pessoas. Os chineses acreditavam na vida após a morte, e o exército foi criado para acompanhar o Imperador Qin em sua suposta vida além-túmulo. Quando foi descoberto, o exército estava disposto em formação completa de batalha, e incluía a linha de infantaria, arqueiros ajoelhados e carroças com seus cavalos e c