quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Queimadas na Amazônia ajudam a escurecer o céu de São Paulo

O céu de São Paulo escureceu de forma atípica na tarde segunda-feira (19/08/2019). Especialistas afirmam que as queimadas que atingem a região amazônica em Rondônia, Acre e na Bolívia contribuíram para a ocorrência do fenômeno. De acordo com o Climatempo, a fumaça chegou à cidade pela ação dos ventos.

Outros fatores também influenciaram para que o céu escurecesse por voltas das 15h. Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), um corredor de fumaça vindo da Amazônia realmente avançou em direção à região centro-sul do Brasil e chegou a São Paulo, mas esta não seria a principal causa para a escuridão. 


Vista da zona norte de São Paulo com céu encoberto, garoa e frio às 16h desta segunda- feira (19). — Foto: Alex Silva/Estadão Conteúdo
Helena Turon Balbino, meteorologista do órgão, disse que a razão principal foi uma nuvem muito baixa e profunda que se formou a partir de ventos bastante úmidos vindos do sudeste e sul.

Segundo meteorologistas do Climatempo, as partículas geradas pelos incêndios amazônicos foram as responsáveis pela cor amarelada (de tons de cinza e ocre) observada em São Paulo. A escuridão também teria acontecido devido a uma frente fria que fechou o tempo na cidade.

Segundo o INPE, o Brasil atravessa a maior onda de queimadas dos últimos cinco anos. O órgão registrou 71.497 focos de incêndio entre 1º de janeiro e 18 de agosto de 2019. 


Houve um aumento de 82% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram observados 39.194 focos de incêndio. Acredita-se que os incêndios são provocados tanto pelo tempo seco quanto pela ação de moradores, fazendeiros e grileiros ao queimar lixo ou com o objetivo de abrir terreno em áreas de mata. 

Vila das Belezas, na Zona Sul de São Paulo, também fica escura — Foto: Ana Paula Campos/TV Globo
Fontes: G1, Estadão, El País e BBC

Nenhum comentário:

Postagens mais acessadas