sexta-feira, 29 de junho de 2012

Nova espécie de dinossauro é encontrada.

Batizada de "Bicentenaria argentina", novo réptil foi apresentado por museu. Pesquisadores acreditam que o dinossauro teria o corpo coberto por penas.
Pesquisadores argentinos anunciaram a descoberta de uma nova espécie de dinossauro carnívoro, que pode contribuir para novos estudos sobre a evolução dos grandes répteis.

A nova espécie, apresentada por pesquisadores do Museu Argentino de Ciências Naturais (MACN), de Buenos Aires, foi batizada de Bicentenaria argentina e seus restos foram achados na província de Rio Negro.
"É muito provável que seja o primeiro representante encontrado de uma nova linhagem dentro da família dos 'celurossauros', dinossauros que eventualmente deram origem às aves", disse em comunicado o Conselho Nacional de Pesquisas Científicas e Técnicas (Conicet) da Argentina, do qual faz parte o MACN.

"Bicentenaria argentina"
O chefe do museu e pesquisador independente do Conicet, Fernando Novas, afirmou que, apesar de a espécie dos celurossauros incluir membros como o Tiranossauro Rex e o Velociraptor, "não se sabe muito sobre as formas primitivas, os primeiros celurossauros".

Os dinossauros adultos do tipo Bicentenaria teriam entre 2,5 e 3 metros de comprimento, eram ágeis e magros e, pela forma de seus dentes e a presença das garras, teriam sido caçadores. "Podemos suspeitar que se alimentavam de pequenos dinossauros, herbívoros e filhotes de dinossauros", afirmou Novas.


Os pesquisadores acreditam que o dinossauro teria o corpo coberto por penas. As rochas que continham os ossos da espécie nova tem cerca de 90 milhões de anos e correspondem ao período Cretáceo superior, de um período de 65 milhões há 98 milhões de anos atrás.
"Os fósseis de celurossauros primitivos são raros e, portanto, esta nova espécie é muito importante", disse Steve Brusatte, da divisão de Paleontologia do Museu Americano de História Natural, dos Estados Unidos.
Para Brusatte, o achado da espécie Bicentenaria não só ajuda a compreender melhor as origens das aves e seus parentes mais próximos, mas também "indica que os continentes da América do Sul, África, e também na Austrália, tiveram uma maior diversidade de pequenos dinossauros acima do normal".
A ossada da nova espécie foi encontrada na província do Rio Negro.

Moedas que valem 10 milhões de Libras.



Foram 30 anos de buscas que com certeza valeram a pena: dois amigos encontraram moedas do primeiro século a.C., as quais foram avaliadas em mais de 10 milhões de libras. Após ouvirem que um fazendeiro havia encontrado moedas de prata em sua propriedade, eles se equiparam com detectores de metais e passaram as últimas três décadas percorrendo um vasto campo em Jersey, na região da Normandia.

Eles ainda não conseguiram mensurar todo o material, mas estima-se que o tesouro tenha entre 30 e 50 mil moedas de prata e ouro, que possivelmente ficaram escondidas pelos últimos 2 mil anos. Com isso, a descoberta se torna facilmente o maior tesouro da Europa em moedas da Idade do Ferro.



Segundo reportagem do Daily Mail, especialistas acreditam que as moedas tenham sido escondidas para mantê-las a salvo dos exércitos de Júlio César. Na época, alguns camponeses do oeste da França teriam enterrado as moedas em algum lugar secreto, mas jamais retornaram para buscá-las.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Tutankamon - A múmia mais famosa


Tutankamon, também conhecido como o “Faraó Menino”, nasceu em 1341 a.C e morreu em 1323 a.C. Foi faraó do Egito Antigo entre os anos de 1332–1323 a.C. na cronologia egípcia. Era filho do faraó Akhenaton com alguma irmã do próprio Akhenaton ou possivelmente uma de suas primas.

Ele subiu ao trono com a idade de nove ou dez anos. Sua ama de leite foi uma mulher chamada Maia, segundo conta em seu túmulo em Sacará .Seu professor foi Sennedjem. O nome Tutankamon siginifica "Imagem viva de Amom", reforçando a restauração de Amom.

Tutankamon era magro e tinha quase 1,67 cm de altura. Ele tinha grandes incisos frontais e a arcada dentária superior projetada para frente, característica da linhagem real Tuteméses à qual pertencia.



Ainda existem muitas dúvidas sobre a vida de Tutankamon. Foi o último faraó da 18º dinastia. Durante seu curto período de governo, levou a capital do Egito para Memphis e retomou o politeísmo, que havia sido abandonado pelo pai Akhenaton. 

O país estava economicamente fraco e em tumulto após o reinado de Akhenaton. As relações diplomáticas com outros reinos foram negligenciadas, e Tutancâmon buscou restaurá-las, em particular as relações com os Mitani

A evidência de seu sucesso é sugerida pelos presentes de vários países encontrados em sua tumba. Apesar de seus esforços para melhorar as relações, foram registradas batalhas contra os núbios e asiáticos em seu templo mortuário em Tebas. Seu túmulo continha armaduras corporais, bancos dobráveis apropriados para campanhas militares e arcos, além dele ter treinado o arco e flecha. 

No entanto, dada a sua juventude (morto aos idade 18) e deficiências físicas que pareciam exigir o uso de uma bengala para caminhar, a maioria dos historiadores especula que não participou pessoalmente dessas batalhas.
Não há registros sobre a morte de Tutankamon. No que diz respeito à causa da morte do faraó alguns afirmam que Tutankamon morreu vítima de assassinato com uma forte pancada na cabeça, porém em janeiro de 2005 a múmia foi retirada do seu sarcófago no túmulo do Vale dos Reis, tendo sido alvo de um exame no qual se recorreu à tomografia computadorizada. Este exame, que teve uma duração de quinze minutos, gerou 1700 imagens.
Manequim de Tutancâmon, madeira esculpida e revestida de gesso.
Os novos exames descartaram a hipótese de morte por assassinato. O rei era um jovem saudável, tendo talvez falecido vítima de complicações associadas a uma fratura da perna direita provocada durante uma sessão de caça. 

Quanto ao osso encontrado no crânio julga-se que foi provocado por um erro durante o processo de embalsamento do corpo.
Em maio de 2005, egípcios, franceses e americanos reconstituíram sua face a partir de imagens de tomografia computadorizada. O rei Tut - como foi apelidado - era dentuço, tinha a parte posterior do crânio estranhamente alongada e o queixo retraído.

Em 2015, o egiptólogo inglês Nicholas Reeves publicou evidências mostrando que um cartucho na máscara mortuária dizia "Ankhkheperure mery-Neferkheperure" (Ankhkheperure amante de Akhenaten); portanto, a máscara foi originalmente feita para Nefertiti, a rainha principal de Akhenaton, que usou o nome real Ankhkheperure quando ela provavelmente assumiu o trono após a morte de seu marido. 

Nefertiti foi provavelmente sucedida por Tutankamon baseado na presença de seus bens funerários em seu túmulo.

A tumba de Tutancâmon
Howard Carter
A importância atribuída para este faraó está relacionada ao fato de sua tumba, situada numa pirâmide no Vale dos Reis (KV62), ter sido encontrada intacta.

Ela foi encontrada em 4 de Novembro de 1922 pelo arqueólogo inglês Howard Carter e que somente abriu a câmara funerária em 16 de fevereiro de 1923.

Foi encontrada uma grande quantidade de tesouros. O corpo mumificado de Tutankamon também estava na tumba, dentro de um sarcófago, coberto com uma máscara mortuária de ouro. O caixão onde estava à múmia do faraó também é de ouro maciço. 
Na tumba de Tutankamon foram encontradas mais de cinco mil peças. Entre os objetos estavam jóias, objetos pessoais, ornamentos, vasos, esculturas, armas, etc.

Sua tumba foi saqueada pelo menos duas vezes na antiguidade, mas com base nos itens retirados (incluindo óleos e perfumes perecíveis) e a evidência de restauração da tumba após as intrusões, esses saques provavelmente ocorreram após alguns meses depois do enterro inicial. 

A localização da tumba foi perdida porque havia sido soterrada por detritos de tumbas posteriores, além disso, foram construídas casas de trabalhadores sobre a entrada da tumba.

Em 2010 a tumba foi fechada ao publico para restauração. Pichações, respiração de turistas e poeira degradaram local descoberto há quase um século, foi o que levou o motivo da restauração.

Mais brilhante e segura, a tumba do faraó egípcio Tutancâmon foi reaberta ao público no dia 31 de Janeiro de 2019 depois de dez anos de trabalhos para preservar o local.

A suposta "Maldição do Faraó".
Durante a escavação da tumba de Tutankamon, alguns trabalhadores da equipe morreram de forma inesperada. Criou-se então a lenda da "Maldição do Faraó".
Na parede da pirâmide foi encontrada uma inscrição que dizia que "morreria aquele que perturbasse o sono eterno do faraó". Porém, verificou-se depois que algumas pessoas haviam morrido após ter respirado fungos mortais que estavam concentrados dentro da pirâmide.

Um estudo mostrou que das 58 pessoas que estavam presentes quando a tumba e o sarcófago foram abertos, apenas oito morreram em doze anos; Howard Carter morreu de linfoma em 1939 aos 64 anos.

Caixa pintada com cenas de Tutancâmon combatendo os núbios e asiáticos.
No dias de hoje
As principais descobertas da tumba, incluindo a máscara mortuária de ouro, podem ser encontradas no Museu Egípcio, no Cairo, e em réplicas no Cairo e Luxor. A múmia do faraó é a única de um rei egípcio que ainda está na sepultura original no Vale dos Reis após a descoberta e abertura do túmulo. 
- No curso da Revolução Egípcia de 2011, os saques ao Museu Egípcio também afetaram os achados do túmulo de Tutancâmon. Uma pequena estatueta dourada e o topo de outra estão desaparecidas desde então.
- No início de 2015, a máscara mortuária foi danificada durante o trabalho de limpeza: a barba do faraó se rompeu e não foi novamente reparada profissionalmente com cola de resina usou-se um adesivo na máscara que ao ser raspada causou mais danos.
- No início de 2016, foram apresentadas acusações contra oito egípcios, incluindo o ex-diretor do Museu Egípcio e o então chefe restaurador. Enquanto isso, a máscara foi restaurada.
- Em julho de 2019, parte de uma escultura de quartzito com o rosto do faraó egípcio foi leiloado pelo equivalente a vinte e três milhões de reais pela casa de leilões Christie's, em Londres. O leilão ocorreu apesar de críticas do Egito, que alertara que provavelmente o artefato de Tutancâmon foi roubado nos anos 1970; segundo a casa de leilões, o artefato pertencia desde 1960 à coleção do príncipe alemão Maximiliano Carlos, 6º Príncipe de Thurn e Taxis e foi vendido entre 1973 e 74 a um mercador austríaco. Tanto o comprador quanto o vendedor são anônimos.

Hoje existe uma espetacular recriação do túmulo e dos tesouros do faraó, tal como foram descobertos em 1922. (Exposição em Lisboa - Portugal - 2019). Segue o link: http://www.tutankamon.pt/ 

A tumba ficou permanecido fechada por 3 mil anos.
Múmia do menino faraó rei Tutancâmon em exposição em seu túmulo recentemente renovado no Vale dos Reis em Luxor.
Foto: REUTERS/Mohamed Abd El Ghany
Tumba de Tutancâmon.
Howard Carter analisando a múmia em 1923.

James Rosemond assume envolvimento em emboscada a Tupac

James Rosemond, também conhecido como Jimmy Henchman, chefe do tráfico de drogas, confessou ter participado de um assalto ao rapper Tupac Shakur em 1994. A informação é do jornal "Village Voice".

Na ocasião, Tupac foi roubado e baleado em Nova York e quase morreu. O próprio rapper acusou Rosemond de estar envolvido no caso na música "Against All Odds", que gravou antes de ser morto em 1996.

Em 2011, Dexter Isaac disse que Rosemond o havia contratado para roubar Tupac. "Ele me deu US$ 2.500 e mais todas as joias que eu pudesse roubar, exceto um anel, que ele queria para si mesmo", afirmou. Essa foi a primeira vez, porém, que Rosemond confirmou.


Segundo o jornal, ele admitiu sua participação na emboscada em outro julgamento, relativo ao tráfico.



Tupac Shakur é considerado para 95% dos fã de rappers, o rei do rap mundial,  sendo assim James Rosemond está em prisão provisória até que seu destino seja declarado.

Encouraçado afundado por nazistas é achado no Mediterrâneo

Navio atacado na Segunda Guerra estava a 30 km da costa da Sardenha. Incidente provocou a morte de 1.352 marinheiros, e 622 sobreviveram.

A Itália encontrou no Mar Mediterrâneo, perto da ilha da Sardenha, o encouraçado "Roma", que foi afundado por um avião alemão durante a Segunda Guerra Mundial, informou nesta quinta-feira (28) a marinha italiana.
O navio de guerra italiano foi localizado a 16 milhas marinhas, cerca de 30 km a costa norte da Sardenha, a mil metros de profundidade, graças a um robô submarino, o Pluto Palla.
A embarcação foi afundada em 9 de setembro de 1943 por um avião alemão, causando a morte de 1.352 marinheiros, entre eles o comandante das forças navais, o almirante Carlo Bergamini.
Apenas 622 pessoas sobreviveram ao ataque, ocorrido após a rendição italiana.
Canhão do encouraçado italiano Roma em foto divulgada nesta quinta-feira (28) pela marinha italiana.
O encouraçado teve uma vida curta, já que foi entregue à marinha em junho de 1942, ou seja, 15 meses antes de afundar.O barco, orgulho da marinha de guerra italiana por ser um dos mais modernos em seu tempo, transportava vários canhões com um alcance 42,8 km, além dos 42 km de alcance dos japoneses.

Novos Geoglifos são encontrados.

Um grupo de pesquisadores da Universidade do Pará anunciou a descoberta de outros 16 geoglifos na região amazônica. Estas grandes grandes figuras desenhadas no chão foram avistadas no dia 16 de junho, durante um sobrevoo. Com isso, até agora, foram descobertos 308 geoglifos próximos do limite entre os estados do Acre e do Amazonas.

Os geoglifos são formados fragmentos como rochas e pequenas pedras. Em sua maioria, são visualizados do alto, como é o caso dos famosos geoglifos de Nazca, no Peru. No Brasil, as imagens começaram a ser descobertas pelos pesquisadores no final dos anos 70. 




De acordo com os cientistas, alguns desses geoglifos podem ter mais de 10 mil anos e alguns deles chegam a medir centenas de metros de diâmetro. Suspeita-se que estas figuras foram feitas para marcação de locais e também para a realização de rituais.



quarta-feira, 27 de junho de 2012

Abraham Lincoln

Abraham Lincoln
Hodgenville12 de fevereiro de 1809 — Washington, D.C.15 de abril de 1865.

Filho de Thomas Lincoln um agricultor de ascendência inglesa, vivendo no Kentucky, um dos primeiros Estados criados após a independência da Grã-Bretanha (1792), na fronteira ocidental do país. 

Lincoln passou a maior parte da sua infância no território de Indiana, para onde a família se tinha deslocado em finais de 1816, devido a um processo judicial de contestação da propriedade que o pai possuia. 

A mãe Nancy Lincoln morreu no Outono de 1818, tendo Lincoln e a irmã sido educados pela madrasta, Sarah Bush Johnston, mãe de duas meninas e um rapaz, com quem o pai se casou no princípio do Inverno de 1819. 

Lincoln, filho de pais iletrados, teve uma educação muito pouco cuidada, frequentando a escola muito esporadicamente, mas que, como o  próprio afirmava, quando chegou à idade adulta, lhe permitia ler e escrever e fazer algumas contas básicas.


Em 1830 a família mudou-se novamente mais para Oeste, para o território do Illinois, na fronteira. Lincoln, com 21 anos, não querendo ser lavrador começou por tentar várias profissões, mas finalmente estabeleceu-se em Nova Salem, trabalhando em atividades como o comércio, os correios ou no levantamento topográfico.

Com o desencadear da Guerra de Black Hawk contra tribos índias, alistou-se como voluntário tendo sido eleito capitão da sua companhia. Não tendo, segundo as suas próprias palavras, visto guerreiros índios vivos, terá entrado em várias lutas sangrentas contra os mosquitos.

Reprodução da cabana onde nasceu Lincoln, e viveu quando criança (Abraham Lincoln Birthplace National Historical Park).

Entretanto, candidatou-se à Assembleia Legislativa do Illinois, para onde foi eleito repetidas vezes, após uma primeira tentativa falhada. Pensou em tornar-se ferrador mas finalmente escolheu a advocacia. 

Tendo aprendido por si próprio gramática e matemática, embrenhou-se nos manuais jurídicos, passado o exame de admissão à advocacia em 1836. No ano seguinte mudou-se para a capital do Illinois, Springfield, onde tinha mais possibilidades de exercer advocacia do que em Nova Salem.


O começo da profissão de advogado foi difícil e muito trabalhosa, tendo de deambular pelo Estado para conseguir clientes. Com o aparecimento dos "caminhos de ferro", Lincoln tornou-se advogado da Illinois Central Railroad, tendo defendido a companhia com sucesso, o que lhe deu uma real estabilidade financeira. 

Tornou-se um advogado reconhecido, tendo também ganho um célebre processo do foro criminal, onde defendeu o seu cliente da acusação de assassínio com a ajuda de um Almanaque que provava que, sendo a noite do crime de Lua Nova, e por isso muito escura, a testemunha do crime não podia ter presenciado o crime claramente.

Casamento e filhos
O primeiro interesse romântico de Lincoln foi Ann Rutledge, a qual ele conheceu quando se mudou para Nova Salem; em 1835 tiveram um relacionamento informal. Ann morreu aos 22 anos em 25 de agosto de 1835, provavelmente de febre tifoide.

Foto de 1864 de Lincoln com Tad.
Em dezembro de 1839, Lincoln conheceu Mary Todd em Springfield,
Illinois, vindo a noivar em um ano depois. Em 1842 casou com Mary,  uma mulher com uma sólida educação, pertencente a uma família distinta do Kentucky, e cujos familiares em Springfield faziam parte da elite local. Em 1844, o casal comprou uma casa em Springfield, próximo ao escritório de advocacia de Lincoln.

Do casamento nasceram quatro filhos, Robert Todd Lincoln nasceu em 1843 e  Edward Baker Lincoln em 1846. Edward morreu em 1 de fevereiro de 1850 em Springfield, provavelmente de tuberculose. "Willie" Lincoln nasceu em 21 de dezembro de 1850, e morreu em 20 de fevereiro de 1862. 

O quarto filho, Thomas "Tad" Lincoln, nasceu em 4 de abril de 1853, e morreu aos 18 anos em 16 de julho de 1871 causado possivelmente por tuberculose, problemas pulmonares,pneumonia, ou insuficiência cardíaca. Robert foi o único a viver até a idade adulta e ter filhos. Seu último descendente, o neto Robert Todd Lincoln Beckwith, morreu.

A morte dos filhos teve profundos efeitos nos pais. Abraham Lincoln sofria de "melancolia", uma condição que atualmente é conhecido como depressão clínica.

Com o casamento Lincoln começou a frequentar a igreja Presbiterana local. Sendo considerado um céptico em questões religiosas e um livre-pensador, era um conhecedor profundo da Bíblia, tendo acabado por defender que toda a história era obra de Deus.

Lincoln e a política
Quando Lincoln entrou para a política, no princípio dos anos 30 do século XIX, simpatizava com as idéias de Andrew Jackson (7º Presidente dos Estados Unidos) sobre o desenvolvimento da democracia nos Estados Unidos, mas, ao contrário do presidente, achava que o governo federal devia intervir na ajuda ao desenvolvimento  económico.

Admirando os dois grandes políticos americanos da década de 40, Henry Clay e Daniel Webster, começou por apoiar o partido Whig, assim chamado, imitando o antigo nome do partido liberal britânico, porque combatia ao aumento dos poderes presidenciais.

A residência da família Lincoln em Springfield (foto de 2008)
Lincoln achava que o seu Estado, o Illinois, e o Oeste em geral, precisavam desesperadamente do apoio do governo federal no apoio ao desenvolvimento económico, por meio de um banco nacional, uma barreira alfandegária proteccionista e um programa de desenvolvimento das comunicações.

Como membro da Assembleia legislativa estadual do Illinois, de 1834 a 1840, Lincoln desenvolveu um projeto grandioso, a ser subsidiado por fundos estatais, de criação de uma rede de "caminhos de ferro", estradas e canais, que foi aprovado, mas que por vários motivos não pôde ser concretizado.


A luta contra o rascimo e escravatura
Na década de 1850 a escravidão era legalmente aceita no sul dos Estados Unidos, mas tinha sido generalizadamente proibida nos estados do norte.

A posição de Lincoln sobre a escravatura era conciliatória defendendo que a escravatura não só era injusta, mas também era uma má solução, sendo que as doutrinas abolicionistas tendiam a aumentar, e não a diminuir, os efeitos perniciosos da instituição.
"The Rail Candidate". A candidatura de Lincoln é descrita como apoiada na questão escravocata: um escravo na esquerda e a organização partidária na direita.
Durante o seu mandato para a Câmara dos Representantes (1847-1849) Lincoln, que apresentou uma lei para a abolição da escravatura na capital federal que não agradou a ninguém, dedicou-se sobretudo a apoiar a eleição de um presidente Whig, o que foi conseguido com a eleição do herói da Guerra do México, Zachary Taylor, mas esta eleição não beneficiou Lincoln da maneira que ele esperava.


Afastado da política por um curto espaço de tempo, Lincoln regressou para combater a Lei Kansas-Nebraska, proposta pelo seu rival político Stephen A. Douglas, que permitia a existência da escravatura nestes estados, desde que aprovada pelos seus eleitores.

A luta política contra esta medida, que acelerou o declínio do partido Whig, deu origem ao Partido Republicano. Como muitos outros políticos Whig, Lincoln integrou este novo partido em 1856. Em 1858 Lincoln tentou ser nomeado para o Senado, em vez de Douglas.

A campanha eleitoral deu origem a um conjunto de debates, que abordaram sobretudo o tema da escravatura. Foi nessa época que proferiu o célebre discurso "Uma Casa Dividida", em que afirmou que "uma casa dividida não se pode manter", insistindo no tema de que as liberdades civis, tanto dos brancos como dos negros, estavam em causa no problema da escravatura.

Os debates não conseguiram fazer com que Lincoln fosse eleito, mas tornaram-no uma figura nacional, e fizeram com que, em 1860, fosse pensado para a Presidência dos Estados Unidos. Na verdade, acabou por ser escolhido como candidato do Partido Republicano, ao fim de três votações, na convenção desse ano.


Em 6 de novembro de 1860, Lincoln foi eleito o décimo sexto presidente dos Estados Unidos e o primeiro presidente pelo Partido Republicano; derrotando seus oponentes: o democrata Stephen A. Douglas, o democrata sulista John C. Breckinridge, e John Bell do recém-criado Partido União Constitucional. 

Lincoln acabou recebeu 40% dos votos dos eleitores, mas com uma grande maioria no Colégio Eleitoral, sendo que no colégio não obteve nenhum voto dos Estados do Sul.



Posse de Lincoln em 1861 no Capitólio. A rotunda ainda estava sendo construída.
Tentou-se chegar a um compromisso, a propósito da divisão territorial entre estados esclavagistas e livres, mas acabou-se por não chegar a nenhum acordo, o que levou outros seis estados do Sul a seguir o exemplo da Carolina do Sul, formando os Estados Confederados da América.

Na viagem de trem para a sua posse, Lincoln entrou em contato com multidões e várias legislaturas no Norte. O presidente-eleito contornou uma possível tentativa de assassinato em Baltimore, descoberto por seu chefe de segurança, Allan Pinkerton

Em 23 de fevereiro de 1861, chegou disfarçado em Washington D.C., tendo sido colocado sob guarda militar. Lincoln direcionou seu discurso de posse para o Sul, anunciando mais uma vez que não possuía intenção, ou inclinação, a abolir a escravidão nos estados do Sul:

Primeiro discurso de posse, 4 de março de 1861.

-A apreensão parece existir entre as pessoas dos estados sulistas, na qual a ascensão de uma administração republicana faz suas propriedades, e sua paz, e sua segurança pessoal estarem em perigo. Nunca houve qualquer motivo razoável para tal apreensão. 

De fato, a mais ampla evidência do contrário existe o tempo todo e foi aberto ao seu controle. Pode ser encontrado em quase todos os discursos publicados daquele que agora dirige a você. Eu faço citar um daqueles discursos em que declarei: "Eu não possuo nenhuma proposta, direta ou indiretamente, em interferir na instituição da escravidão nos estados em que existe. Acredito que não tenho o direito legal de fazê-lo, e eu não tenho nenhuma inclinação para fazê-lo." 

O presidente terminou seu discurso com um apelo para o povo do Sul:
- "Nós não somos inimigos, somos amigos. Nós não deveríamos ser inimigos (...) Os acordes místicos da memória, que se estende de cada campo de batalha, e patriota, a cada coração vivo e lareira, em todo esse amplo terreno, ainda vai expandir o coro da União, quando novamente tocado, como certamente será, pelos melhores anjos da nossa natureza".

O fracasso da Conferência de Paz de 1861 sinalizou que o compromisso legislativo foi implausível. Em março de 1861, nenhum líder da insurreição propôs reunir União em quaisquer condições. Enquanto isso, Lincoln e quase todos os líderes republicanos concordaram que o desmantelamento da União não poderia ser tolerado.

O início da guerra

A guerra acabou por ser declarada devido ao cerco do forte Sumter por tropas da Confederação. O forte que tinha sido acabado de construir na baía de Charleston, na Carolina do Sul, e estava guarnecido por tropas federais, foi bombardeado em 12 de Abril de 1861, antes da chegada anunciada de uma coluna de reabastecimento. 

O novo presidente requereu tropas aos governadores estaduais, o que fez com mais três estados abandonassem a União, entre os quais o importante Estado da Virgínia, e declarou o bloqueio dos portos sulistas. A estratégia de Lincoln era simples. Baseava-se em organizar o maior número possível de tropas e atacar em todos os lados ao mesmo tempo.

O peso demográfico e económico dos estados do Norte, ia sentir mais cedo ou mais tarde, sobre os estados do Sul, e a guerra terminaria. Mas a unidade de comando, necessária para coordenar os esforços dos diferentes exércitos federais, só foi conseguida em Março de 1864, quando Lincoln nomeou o general Grant, vencedor dos exércitos confederados no vale do Misissipi, comandante-chefe das forças da União. 

A estratégia de 1861 pode ser posta em prática, finalmente, e a rendição do estados do Sul não demorou.

Durante a Guerra Civil, a política de Lincoln em relação à escravatura foi-se modificando. Começando por defender a manutenção da escravatura nos estados em que ela existia, e a proibição da sua expansão para outros estados; a posição de Lincoln tornou-se, no fim da guerra, abertamente abolicionista. 

Com o decreto presidencial de 1 de Janeiro de 1863, que pôs em prática de acordo com o que considerava serem os poderes do Presidente em tempo de Guerra, e que ficou conhecido como a Proclamação da Emancipação, os escravos nos territórios do Sul sob domínio confederado eram libertos.

A medida só libertou 200.000 negros até ao fim da guerra, mas mostrou definitivamente que a abolição da escravatura se tinha tornado um dos objectivos da guerra, para além da manutenção da unidade política. 

A medida, de duvidosa legalidade, foi seguida por uma Emenda Constitucional, a decima terceira, que proibiu a escravatura nos Estados Unidos da América. A emenda tinha sido prevista no programa político do Partido Republicano, durante a preparação das eleições de 1864.

Durante a guerra, Lincoln teve de preparar a reconstrução dos estados do Sul. A questão foi sempre fonte de divisão no Norte e no Partido Republicano. A facção Radical defendia que os estados rebeldes deviam ser tratados duramente, enquanto Lincoln e os Conservadores defendiam que os territórios deviam regressar à normalidade o mais rapidamente possível, sendo as medidas de regularização da situação o menos duras possíveis. 

Mas a posição de Lincoln nunca foi muito clara, mesmo após o fim da guerra, parecendo que se começava a aproximar das posições dos Radicais, quando morreu.

Assassinato
Em 14 de abril de 1865, uma sexta-feira santa, Lincoln foi assassinado no Teatro Ford em Washington por John Wilkes Booth, um ator que achava estar ajudando o Sul. O resultado foi o oposto pois, com a morte de Lincoln, morreu a possibilidade de paz com magnanimidade.

Um cirurgião do Exército, Charles Leale, estava sentado próximo e imediatamente deu assistência ao presidente, que não apresentou reação: estava quase sem respirar e sem a pulsação sanguínea detectável. O guarda-costas John Parker saiu do Teatro durante o intervalo para, juntamente com o cocheiro, tomar alguma bebida no bar próximo. 


Dentro do Teatro Ford, da esquerda para a direita: Henry Rathbone, Clara Harris, Mary Todd Lincoln, Abraham Lincoln e seu assassino John Wilkes Booth.
O presidente desprotegido estava em seu camarote quando John Wilkes viu a oportunidade e por volta das 22h13, tendo como vista a parte de trás da cabeça de Lincoln, disparou-lhe um tiro que o feriu mortalmente. O major Henry Rathbone momentaneamente lutou com John Wilkes, mas foi esfaqueado e o criminoso fugiu.

Após dez dias de procura, John Wilkes foi localizado em uma fazenda na Virgínia, a aproximadamente 110 quilômetros ao sul de Washington DC; tentando resistir à captura, o criminoso terminou morto pelo sargento Boston Corbett em 26 de abril de 1865.
Camarote onde Abraham Lincoln foi assassinado.
John Wilkes Booth
Fonte: Wikipedia editada.
Veja com mais detalhes em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Abraham_Lincoln

Cinco mitos do R.M.S Titanic

Foi por volta de 11:40 da noite do dia 14 de abril de 1912 que o navio RMS Titanic atingiu um iceberg e causou uma das maiores fatalidades navais de toda a história.

Apesar de o filme Titanic (de James Cameron, lançado em 1997) ter alcançado imenso sucesso, ele não foi o primeiro a homenagear o navio transatlântico.

E o que poucas pessoas sabem é que muitos dos relatos mostrados nos filmes não condizem com a realidade vivida pelos tripulantes e passageiros do navio.

Confira agora quais são os cinco maiores mitos que o cinema ajudou a divulgar, mas que podem ser apenas histórias fantasiosas criadas para aumentar a atmosfera mitológica do Titanic.

1. “Nem Deus pode afundar o Titanic”
Apesar de essa frase ser muitas vezes repetida para mostrar que os grandes nomes da White Star Line (a empresa responsável pelo navio) e o comandante da embarcação estavam superestimando o poder do Titanic – e que, claramente, haviam se enganado –, ela pode não ser real. 
Pelo menos é o que afirma Richard Howells, especialista do Kings College de Londres.

Ele afirma que esse mito pode ter sido introduzido no imaginário popular após o acidente. Segundo o pesquisador, a White Star Line nunca disse que o navio era invulnerável. Há também relatos de que havia muito menos publicidade em torno do Titanic do que se imagina, pois o grande nome da construção naval na época era o Olympic – um navio-irmão do Titanic criado pela mesma empresa e responsável pelo mesmo trajeto em anos anteriores.

2. A última música
Em diversos filmes sobre o Titanic, o grupo de música é mostrado tocando o hino cristão “Nearer, My God, To Thee (Mais perto, meu Deus, para Ti)”. 


Até hoje não se sabe se era realmente essa a canção que os instrumentistas do transatlântico estavam tocando no momento do naufrágio. Pode-se dizer que a origem do mito tenha sido o jornal Daily Mirror (da Inglaterra), que afirmou que eles estavam tocando a canção enquanto o barco afundava – em uma tentativa de romantizar o acontecimento.

Em 1958, o filme “A Night to Remember” mostrou o naufrágio do Titanic ocorrendo com a já mencionada canção. James Cameron achou a sincronia entre música e imagens perfeita e decidiu utilizar a mesma ideia em seu filme.

Há duas diferenças básicas nas versões: a de 1958 mostra os músicos cantando até o momento em que a água começa a arrastá-los; enquanto na de 1997, eles tocam uma versão instrumental de “Nearer, My God, To Thee”, que é interrompida quando um dos violinistas diz: “Senhores, foi um privilégio tocar com vocês esta noite”.


3. O capitão Smith não foi um herói
Todos os filmes mostram o capitão Smith como um verdadeiro herói no naufrágio. Há, inclusive, histórias de que após o afundamento completo do Titanic, ele podia ser visto nadando com uma criança nos braços para salvá-la da morte. Segundo o site da BBC, várias estátuas erguidas em sua homenagem na Inglaterra.

Mas ao que dizem alguns especialistas sobre o naufrágio, todo o heroísmo e esforços para salvar os passageiros pode não ter sido tão real assim.


Nos primeiros minutos após o acidente, botes de salvamento com espaço para 65 pessoas abandonaram o navio com menos de 30 pessoas e não retornaram para salvar outras vítimas.

Paul Lounden-Brown, da Sociedade Histórica Titanic, diz que o único culpado pelo acidente é o Capitão e nenhuma outra pessoa da cabine de comando pode ser responsabilizada. Uma de suas decisões mais equivocadas foi não ter avisado a todos os passageiros que havia acontecido um acidente.

O pesquisador afirma que a ordem de abandonar o navio nunca foi dada. Por isso, é muito provável que centenas de pessoas tenham morrido sem nem ao menos ficarem sabendo que havia acontecido um acidente. 


John Graves (do Museu Marítimo Nacional, em Londres) diz que Smith pode ter entrado em choque por não possuir um plano de evacuação, por isso não conseguiu tomar qualquer decisão importante.

4. J. Bruce Ismay: o empresário vilão
Filmes sobre o naufrágio costumam mostrar J. Bruce Ismay – o presidente da White Star Line – como um homem covarde que abandonou o Titanic no primeiro bote salva-vidas a ser lançado no mar. 

A origem do mito pode ter sido outro acidente com navios da White Star, quando o próprio Ismay recusou-se a cooperar com William Randolph Hearst, um grande magnata da imprensa norte-americana.

Depois do acidente com o Titanic, Hearst pode ter se aproveitado para acusar Ismay como forma de vingança. Muitos dos jornais ligados ao magnata o chamavam de J. Brute Ismay (um trocadilho com seu nome, o acusando de ser um animal irracional), o que contribuiu bastante para que a imagem de covarde fosse proliferada.

Os especialistas consultados pela BBC afirmam que há vários relatos de sobreviventes que foram ajudados por Ismay, antes que ele pudesse colocar-se nos botes para salvar sua vida. Mesmo assim, a imprensa continuou acusando o presidente da White Star Line. Em 1913, ele se afastou da companhia, falido.

5. A terceira classe foi abandonada para a morte
Nos filmes que mostram o naufrágio do transatlântico, a terceira classe é mostrada de maneira completamente separada das outras – e isso fica mais claro na versão de James Cameron, em que há destaque para personagens de lá. 


Os portões de separação realmente existiam, não para evitar que eles pudessem entrar nos botes, mas para o cumprimento de normas sanitárias dos Estados Unidos.

Como no navio havia muitos imigrantes que queria tentar uma nova vida na América, o Titanic teria que parar em Ellis Island para que houvesse uma inspeção sanitária e burocrática dos passageiros (que vinham de países como China, Holanda, Itália, Armênia, Rússia, Escandinávia e Siria). E para evitar que qualquer doença fosse transmitida às demais pessoas, havia a separação – respeitando normas dos Estados Unidos.

A terceira classe possuía seus próprios botes salva-vidas, mas para chegar até eles seria necessário percorrer uma série de corredores que mais se pareciam com labirintos. Por isso, muitos acabaram morrendo afogados dentro do navio. 


Também há várias evidências de que, ao chegar ao local onde deveriam estar os botes, muitos deles já haviam sido levados para o mar.

Nas conclusões finais do inquérito sobre o naufrágio, foi constatado que “não houve evidências de que houve alguma tentativa de deixar, deliberadamente, os passageiros da terceira classe morrerem“


Vale lembrar que a maior parte das mortes ocorreu entre passageiros da terceira classe e tripulação: de 1.616 pessoas, apenas 394 se salvaram.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Roberto Gómez Bolaños

Roberto Gómez Bolaños
Conhecido como Chespirito - Cidade do México, 21 de fevereirode 1929- Cancun , 29 de Novembro de 2014, é um escritor, ator, comediante, dramaturgo, compositor e diretor mexicano. 

Ficou conhecido mundialmente pela criação das séries televisivas Chaves e Chapolin Colorado, as quais lhe trouxeram grande prestígio e garantiram-lhe o reconhecimento como um dos escritores comediantes mais respeitados do mundo. É sobrinho do ex-presidente mexicano Gustavo Díaz Ordaz Bolaños (1911-1979).

Roberto Gómez Bolaños “Chespirito” estudou engenharia, mas nunca exerceu. Assim como Borges ou De Quincey, Gómez Bolaños soube, antes de escrever, que havia nascido para Letras; e estaria à discussão a sua qualidade literária entre os intelectuais, mas milhões de pessoas durante quatro gerações se somam à minha voz para agradecer a Chespirito, que deixou a eletricidade e a mecânica de lado (ainda que também é algo criativo) para se dedicar a divertir milhões de pessoas. Assim então, Chespirito se iniciou como publicitário para a empresa publicitária D’Arcy, quando tinha 22 anos.

A partir da segunda metade da década de 50, a atividade de Gómez Bolaños como roteirista foi muito intensa. Foi bem escrevendo para rádios, programas de TV ou para cinema. 

Durante 10 anos alimentou com seus roteiros o programa semanal “Cómicos y canciones”, que fez muito sucesso. Entre 1960 e 1965, dois programas disputavam o primeiro e segundo lugar da TV mexicana, e ele escrevia ambos. Eles eram: “Estudio de Pedro Vargas” e o já mencionado “Cómicos y canciones”.



Em 1966, o ator Mario Moreno “Cantinflas” elegeu os roteiros de Gómez Bolaños para uma série que deveria se chamar “El estudio de Cantinflas”. Porém, infelizmente, o patrocinador cancelou o projeto devido às altas pretensões do famoso comediante Cantinflas.
Em 1970, a TV extendeu o tempo de transmissão para uma hora e o horário utilizado passou a ser às segundas-feiras, às 20:00. Então, a série passou a se chamar “Chespirito”, onde se incluíam diferentes quadros, de tal sorte que vimos nascer nesse espaço o personagem Chapolin Colorado e um ano depois o Chaves do Oito. Ambos personagens tiveram tal aceitação, que a emissora decidiu dar-lhes características de seriado com um dia da semana para cada um, com meia hora de transmissão e em horário nobre.
O Chapolin Colorado e o Chaves abriram as portas do mercado internacional à TV mexicana. Em 1973, ambos os programas eram transmitidos para quase toda a América Latina, e em todos os países sua popularidade colacavam-nos em primeiro lugar na audiência. Por exemplo, em 1975, os níveis de audiência das séries de Chespirito no México oscilavam entre 55 e 60 pontos no ranking. 

A partir de 1984, o programa voltou a ter uma hora de duração às segundas-feiras, às 8 da noite, com o nome de “Chespirito”. Nessa época, Chespirito já era um sucesso, e assim seguiu sendo. Por 25 anos sem parar, todas as segundas-feiras, às 20 horas, Chespirito estava em quase todos os lares mexicanos.



Atualmente, a série segue sendo transmitida em toda a América Latina e na Espanha, com seu áudio original, mas também é transmitida em diferentes dublagens em outros idiomas em mais de dez países: os programas de Chespirito pode ser vistos tanto no Brasil, como em Angola. 

Por isso, talvez, Homer, o personagem da série americana “Os Simpsons”, inclui entre seus personagens favoritos o Chapolin Colorado.
Em 1978, Roberto Gómez Bolaños “Chespirito” produziu, escreveu e atuou no filme “El Chanfle”, o mesmo rompeu todos os recordes de bilheteria existentes até essa data no México.
Gómez Bolaños também escreveu roteiros para cinema e telenovelas, assim como uma comédia musical chamada “Títere”. Tem, ainda, em seu arquivo teatral, mais seis obras.
É comum que um cantor de Rock encha um estádio de futebol, tal é o caso de Tina Turner, Sting, Madonna, etc; Mas não é comum que um comediante e seu grupo consigam o mesmo com um espetáculo teatral.
Em 1977, o “Show de Chespirito” lotou duas vezes no mesmo domingo o estádio de futebol de Santiago, no Chile, cuja capacidade é de 80.000 pessoas

Em Buenos Aires, Argentina, no Auditório Luna Park, com uma capacidade de 25.000 pessoas, Chespirito deu quatorze apresentações consecutivas com capacidade esgotada. 

Na cidade de Nova York, no Madison Square Garden, um espetáculo latino surpreende com 2 seções lotadas em um só domingo do ano de 1983: “El Show de Chespirito”. “La quinta Vergara” obtém ótimo público somente no festival de canções de Viña del Mar, onde há muitos tipos de espetáculo. Em 1977, tiveram lotação esgotada novamente com o “Show de Chespirito”.
Calcula-se que em 43 anos escrevendo, Chespirito acumulou algo como 60.000 folhas. Isso equivale a 2.400.000 linhas e aproximadamente, 168 milhões de letras.
Existem muitos recordes de Chespirito dignos de serem registrados, mas o mais valioso e maior de seus feitos é o ideal que todo o ser humano persegue e a meta que por muitos não é alcançada: Roberto Gómez Bolaños “Chespirito” é um bom homem.
Com 82 anos de idade o ator Roberto G. Bolaños é a nova sensação da internet. Com apenas 7 mensagens, no Twitter conseguiu mais de 50.000 seguidores em apenas 12 horas e chegou aos TTs BR (coisas mais faladas no Twitter brasileiro).

Roberto Gómez Bolaños faleceu em Cancún, onde morava nos últimos anos de sua vida, às 14:30 (horário local) de 28 de novembro de 2014, devido à uma parada cardíaca.


Após sua morte, Roberto recebeu algumas homenagens póstumas. Em 2016, um busto dele foi inaugurando em Cancún, cidade onde o comediante viveu seus últimos anos. Sua viúva Florinda Meza participou da inauguração.
No mesmo ano, uma praça em São Paulo recebeu o nome de "Praça Roberto Bolaños", em homenagem ao ator.O comediante também ganhou um museu, que reúne alguns de seus objetos pessoais. 
O museu fica na Cidade do México e é administrado pelo Grupo Chespirito, um grupo responsável por manter o legado do ator e comandado pela família de Bolaños. No museu também há uma réplica da vila do Chaves.
Em 2015, durante a cerimônia do Oscar, foi feita uma homenagem aos artistas falecidos em 2014. Mas Roberto não foi citado na homenagem, assim como a comediante Joan Rivers, o que gerou revolta em internautas.
Segundo levantamentos feitos pela imprensa, Bolaños teria deixado U$ 1,7 bilhão em herança para a família.
Em março de 2015, a imprensa mexicana divulgou que Florinda Meza e os filhos de Roberto teriam brigado pela herança dele. 
Os filhos teriam exigido um valor maior do que foi deixado a eles no testamento, o que não teria agradado Florinda.
Mas em 2016, Florinda negou que brigou com os filhos de Bolaños pela herança. Ela também confirmou que pensa em vender a casa em que ela vivia com Roberto em Cancún porque tem dificuldades para mantê-la.
Roberto deixou os direitos autorais de toda a sua obra e seus personagens para o seu filho Roberto Gómez FernándezA única exceção foram os direitos da personagem Chimoltrúfia, da esquete Los Caquitos, que Bolaños deixou para Florinda Meza, sua esposa. 
Em 2018, Roberto Gómez Fernández anunciou que fará em breve uma série biográfica contando a história de seu pai, Chespirito.
Desde a morte de Roberto, Florinda vive sozinha, com muitas saudades dele.

Postagens mais acessadas