quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Exposição do Titanic chega em Curitiba (2010)

No dia 27 de outubro chega a Curitiba uma das exposições de maior sucesso no mundo, vista por mais de 22 milhões de pessoas, “Titanic: A Exposição - Objetos reais, histórias reais”.  A mostra será inaugurada dia 27 de outubro, no ParkShoppingBarigüi.

Ao todo, 243 objetos originais retirados do fundo do mar nos levam ao ano de 1912, a bordo do Titanic. Além disso, a mostra traz a reprodução de um iceberg de 3,5 metros no qual os visitantes poderão colocar as mãos para sentir as baixas temperaturas da noite do naufrágio.

Belas recriações de ambientes, como as cabines de primeira e terceira classe e a sala das caldeiras também fazem parte da exposição. Uma das curiosidades é um pedaço do casco do Titanic, que é a única peça original da exposição que poderá ser tocada pelo público.

Em 15 de abril de 1912, Titanic, o maior navio do mundo naquela época, afundou depois de colidir com um iceberg, provocando a morte de mais de 1.500 pessoas. 

Quando chegam à exposição, os visitantes são levados a 1912, recebendo logo na entrada uma réplica do cartão de embarque de um passageiro real que esteve a bordo do Titanic. Em seguida entram em uma viagem cronológica da trajetória do navio, deslocando-se através de sua construção, passando pela vida a bordo, pelo naufrágio malfadado até os incríveis esforços de resgate.

Vista por mais de 22 milhões de pessoas em 85 cidades ao redor do mundo, a exposição apresenta 243 objetos reais.

A exposição foi projetada com foco no legendário RMS Titanic e nas histórias reais das 2.228 pessoas a bordo. Os 243 objetos originais retirados do fundo do mar provocam uma ligação com toda a história do Titanic.

Frascos de perfumes de um fabricante que viajava à Nova York para vender suas amostras, um alfinete de diamantes e uma escotilha verdadeira da embarcação são alguns dos artefatos que estarão expostos no Brasil.

Além disso, a mostra traz a reprodução de um iceberg de 3,5 metros no qual os visitantes poderão colocar as mãos para sentir as baixas temperaturas da noite do naufrágio, belas recriações de ambientes, como as cabines de primeira e terceira classe e a sala das caldeiras, que inspiram os visitantes a lançarem um olhar comovente sobre o trágico naufrágio, uma conexão emocional com as vidas que foram bruscamente interrompidas ou para sempre alteradas.

Serviço:  A exposição foi em 2010 e não esta mas disponível.

Nenhum comentário:

Postagens mais acessadas